Você está em:
IMPRIMIR

Ramalho lamenta falta de diálogo entre Dilma, trabalhadores e sindicalistas

5 de fevereiro de 2013

O presidente do PSDB Sindical, Antonio Ramalho - Foto: George-Gianni

As incontáveis greves, paralisações e protestos de trabalhadores em todo o país por melhores condições de trabalho são uma radiografia do tratamento que o governo federal tem oferecido a representantes de diferentes classes profissionais. Até o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, padrinho político da presidente, tem reclamado da relação da gestão petista com líderes sindicais.

O presidente do núcleo sindical do PSDB, Antonio Ramalho critica a postura de Dilma Rousseff. Segundo ele, a presidente não tem recebido nem os sindicalistas ligados ao Partido dos Trabalhadores. “A Central Única dos Trabalhadores (CUT) mudou toda a diretoria. Os novos representantes tentam marcar um encontro desde agosto do ano passado, mas não conseguem”, destaca.

Para Ramalho, o diálogo entre o governo federal e os trabalhadores é essencial ao desenvolvimento do país. “É de se lamentar que a presidente tenha essa dificuldade de conversar com representantes de sindicatos. Nós sabemos como isso funciona. Na época da campanha, ela vai querer correr atrás do prejuízo, mas o estrago com as classes trabalhadoras já estará feito”, mensura.

De acordo com matéria publicada na edição desta segunda-feira (4) do jornal Folha de S. Paulo, Lula, que está em viagem aos Estados Unidos, deu declaração que soou como recado à presidente. “Em discurso, disse que os governos, incluindo o da petista, precisam ouvir os sindicatos. A declaração ocorre num momento em que sindicalistas brasileiros têm se queixado de que Dilma tem recebido empresários, mas dado pouca atenção a representantes do movimento sindical”, ressalta a reportagem.

 

Fonte: Agência Tucana