Você está em:
IMPRIMIR

Críticas à desindustrialização marcam Dia do Trabalhador em BH

2 de maio de 2012


O presidente do PSDB Sindical durante encontro que celebrou o Dia do Trabalhador em Belo Horizonte

O presidente do PSDB Sindical durante encontro que celebrou o Dia do Trabalhador em Belo Horizonte

O presidente do PSDB Sindical, Rogério Fernandes, criticou, no Dia do Trabalhador, o processo de desindustrialização pelo qual atravessa o país. Durante encontro realizado pela Força Sindical, nessa terça-feira, na Via 240, no bairro Aarão Reis, em Belo Horizonte, Rogério Fernandes alertou para a necessidade de o governo federal reduzir os juros e garantir incentivos para aumentar a capacidade industrial do Brasil.

“A questão da desindustrialização em nosso país está além da indústria, porque se ela não cresce e se desenvolve não há geração de empregos, o que prejudica os trabalhadores de forma direta. Tem que haver um movimento em prol da indústria brasileira, com a redução de juros imediata e os incentivos por parte do governo federal”.

Criado em agosto de 2011, o PSDB Sindical de Minas Gerais é formado por mais de 200 dirigentes sindicais da Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Nova Central Sindical. Atualmente, o PSDB Sindical está implantado em 25 estados brasileiros. Em Minas, quatro coordenadorias regionais e duas municipais já foram criadas.

No Dia do Trabalhador, as entidades que fazem parte do PSDB Sindical reuniram milhares de trabalhadores em várias regiões do Estado. Na via 240, em Belo Horizonte, a Força Sindical reuniu mais de 30 mil pessoas na festa que contou com vários shows. Participaram do encontro, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda; o tesoureiro do PSDB Sindical, Carlos Malaquias; além de diretores da entidade.

No Mineirinho, a União Geral dos Trabalhadores reuniu cerca de 20 mil trabalhadores e seus familiares para comemorar o “1º de Maio da Pesada” com shows culturais e sorteios de prêmios.