Você está em:
IMPRIMIR

Thelma avalia que mulheres brasileiras se beneficiam com resolução do PSDB

7 de fevereiro de 2013

Brasília – A presidente do Secretariado Nacional do PSDB-Mulher, Thelma de Oliveira, afirmou que a resolução do partido que determina a maior participação feminina nas instâncias diretivas da sigla é “uma conquista das mulheres brasileiras”.

A resolução 1/13, aprovada pelo PSDB na terça-feira (5), determina que ao menos 30% dos comandos municipais, estaduais e federal do partido sejam compostos por mulheres.

Thelma, que é ex-deputada federal por Mato Grosso, avaliou que as mulheres do partido devem prestar um “reconhecimento histórico” ao atual presidente nacional do PSDB, o deputado federal Sérgio Guerra. “O PSDB e as tucanas vão relembrar a gestão de Sérgio Guerra como a de um líder político que sempre esteve ao lado das causas femininas. Tenho certeza de que haverá um reconhecimento histórico disso”, declarou. Leia, abaixo, entrevista com a presidente do PSDB-Mulher, que exerce o cargo até o dia 24 de maio.

PSDB Mulher: O que representa a Resolução 1/13?
Thelma: Uma conquista das tucanas, do partido, das mulheres brasileiras, que agora terão no PSDB um espaço maior e mais amplo para lutar por nossas causas. O nosso partido é um dos únicos do Brasil que abre esse espaço para a afirmação da mulher na politica partidária. Temos que nos orgulhar disso e divulgar na sociedade, nos movimentos sociais e comunitários.

PSDB Mulher: Qual o reflexo dessa decisão a curto prazo e as etapas a serem vencidas para de fato implantá-la?
Thelma: O reflexo é imediato. Todas as novas direções municipais, estaduais e a nacional que serão renovadas no decorrer deste ano já contemplarão 30% dos cargos para as mulheres. Quanto às etapas, a direção nacional do partido e o PSDB-Mulher estão informando a existência da Resolução 1/13 a todos os diretórios estaduais e municipais, além seccionais do PSDB-Mulher.

PSDB Mulher: Não haverá problemas para completar as chapas com a indicação de mulheres?
Thelma: Não, porque temos mulheres filiadas em número suficiente para compormos as chapas. Além disso, a própria resolução estimulará a vinda de novos quadros femininos para o partido porque saberão que, aqui no PSDB, temos espaços. Aliás, na última eleição já houve uma demonstração de nossa força e presença. Na listagem de concorrentes apresentadas aos tribunais eleitorais conseguimos preencher a chamada cota de 30% reservada para as mulheres, com sucesso, além de termos conquistado o maior número de eleitas.

PSDB Mulher: Como a senhora avalia o desempenho das mulheres do PSDB nas eleições municipais?
Thelma: Tivemos um recorde no partido. Elegemos 93 prefeitas em 20 estados, 83 vice-prefeitas, 726 vereadoras. Essa conquista foi resultado, de um lado, do apoio que tivemos do nosso presidente Sérgio Guerra; de outro, de nova organização prévia com a realização de encontros e seminários estaduais e o Congresso de Recife, em que mais de 1.000 tucanas de todo o país aprovaram a “Carta de Recife”. Temos ainda três deputadas federais e a senadora Lúcia Vânia, eleita por Goiás.

PSDB Mulher: Como o presidente Sérgio Guerra apoiou as iniciativas?
Thelma: Sérgio Guerra nos ajudou muito em toda a minha gestão no PSDB-Mulher nacional. Sem ele não teríamos realizado, por exemplo, o Congresso de Recife, um marco na nossa vida partidária. Ele assinou a Resolução 1/13! O PSDB e as tucanas vão relembrar a sua gestão como a de um líder político que sempre esteve ao lado das causas femininas. Tenho certeza de que haverá um reconhecimento histórico disso. Ele merece.