Você está em:
IMPRIMIR

Projeto Com Licença, Vou à Luta capacitará mais de mil mulheres neste ano

11 de outubro de 2013

52 municípios mineiros já foram beneficiados com o projeto Com Licença, Vou à Luta

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) deve capacitar, neste ano, mais de mil mulheres no projeto Com Licença, Vou à Luta, que busca a inclusão social e produtiva de mulheres com ações de formação para a cidadania, elevação da escolaridade e capacitação profissional, visando à inserção do público feminino no mercado de trabalho ou a criação de arranjos produtivos locais. No dia 3 de outubro, cerca de 50 profissionais ligados à assistência social, de 29 cidades mineiras, participaram, na Cidade Administrativa, de mais uma etapa da capacitação em dois novos módulos do projeto.

Criado em 2011 para reduzir as privações sociais identificadas pelo projeto Porta a Porta, o Com Licença, Vou à Luta é destinado às mulheres acima de 40 anos, desempregadas, com baixa escolaridade e residentes em municípios atendidos pelo Programa Travessia. Suas ações são desenvolvidas em quatro eixos: elevação da escolaridade; resgate da autoestima, da autonomia e da cidadania; qualificação profissional e, por fim, a inserção no mundo do trabalho.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado estadual Cassio Soares, no ano passado, a Sedese conseguiu capacitar 938 mulheres em 18 municípios atendidos pelo projeto, sendo que 17% delas estão inseridas no mercado de trabalho.

“Desde a criação do projeto, até agora, 668 mulheres foram encaminhadas a programas ou serviços educacionais para a elevação da escolaridade. Neste ano, 1.200 mulheres já se inscreveram no Com Licença, Vou à Luta. A meta do projeto é capacitar, no mínimo, mil mulheres em 2013. O projeto já conseguiu beneficiar 52 municípios, sendo nove em 2011, 22 em 2012 e outros 21 neste ano”, explicou.

O processo de identificação, mobilização seleção e inscrição das mulheres é feito por técnicos responsáveis pela coordenação local nos municípios onde o projeto está sendo desenvolvido. Todas as mulheres inseridas no Com Licença, Vou à Luta passam pelos módulos de Formação para a Cidadania, Qualificação Profissional, além do de Inserção no Mundo do Trabalho e Fixação do Aprendizado por Meio da Prática.

Entre os cursos desenvolvidos no projeto estão o artesanato, corte e costura, culinária e gastronomia, informática, atividades ligadas à prestação de serviços (atendente, recepcionista, cuidador de idosos, operador de caixa), bem como a capacitação na área de beleza e estética (cabelereira, manicure, pedicuro e maquiadora).

“Queremos não só elevar a escolaridade e melhorar a qualificação profissional dessas mulheres, mas garantir o resgate da cidadania, da autonomia e da autoestima”, enfatizou Cássio Soares, ressaltando que um dos principais pontos do projeto é também o de permitir a geração e melhoria da renda dessas mulheres.