Você está em:
IMPRIMIR

Maria de Lourdes Abadia: Não queremos ser “coitadinhas”, mas precisamos nos preparar

22 de agosto de 2017

Segundo ela, o caminho para a conquista das mulheres é o do conhecimento

Segundo Maria de Lourdes Abadia, o caminho para a conquista das mulheres é o do conhecimento

Formada em serviço social com especialização em populações de baixa renda e jovens de periferia, Maria de Lourdes Abadia foi a terceira presidente do PSDB Mulher (2005-2007). Segundo ela, o caminho para a conquista das mulheres é o do conhecimento. Tanto é que se empenha nas discussões sobre as diversas áreas que envolvem políticas públicas – programas sociais, saúde, educação, igualdade salarial e economia.

“A informação é muito importante para poder participar de maneira efetiva e ativa”, ensinou Abadia. “Só assim poderemos aprofundar os debates, incluir temas e buscar alternativas”, recomendou. “Não queremos ser olhadas como ‘coitadinhas’, mas sim em pé de igualdade e, para isso, precisamos nos preparar.”

Para Abadia, o ideal é promover cursos e discussões, por região, respeitando as peculiaridades de cada área, envolvendo temas, como gestão pública, combate às drogas, medidas de segurança, saúde da mulher e igualdade salarial. “Infelizmente a violência continua e contra mulher ainda é intensa”, disse ela.

Discriminação

Com a experiência de quem foi a primeira governadora em exercício do Distrito Federal, com passagens em cargos no Executivo, deputada federal e distrital, Abadia disse que não tem dúvidas sobre as mudanças que assistiu nas últimas duas décadas. “Percebíamos que antes as mulheres eram colocadas em funções só para obtenção de números e não por qualidade”, disse ela.

Para Abadia, o preconceito que havia antes em relação às mulheres ainda é presente, mas em menor escala. “Infelizmente há resistências entre as mulheres contra as mulheres. Já ouvi muitas vezes de mulheres a seguinte frase: ‘Eu não voto em mulher’”, disse ela. “Temos de trabalhar também essa discriminação entre nós.”

O assunto é familiar para Abadia, que a convite da Universidade de Brasília (UnB), coordenou uma pesquisa no Entorno do Distrito Federal – que reúne municípios de Goiás, da Bahia e de Minas Gerais – sobre “Perspectivas de Futuro” de jovens de 14 a 24 anos, resultando na publicação do livro “Jovens de Entorno – Sonhos e Armadilhas”.