Você está em:
IMPRIMIR

Cresce apoio ao nome de Solange Jurema para a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres

23 de maio de 2016

Reunião suprapartidária lança nome de Solange Jurema para a SNPM

Reunião suprapartidária lança nome de Solange Jurema para a Secretaria de Políticas para Mulheres

O PSDB Mulher Nacional em conjunto com os segmentos femininos do PPS e do DEM, escolheu por unanimidade o nome de Solange Jurema para presidir a Secretaria de Políticas para Mulheres, em uma reunião na última semana pouco antes de ir ao Ministério de Justiça, para audiência com o ministro Alexandre de Moraes, em que foram pedir a manutenção do status atual da Secretaria de Políticas para Mulheres, o que foi conseguido.

Estiveram presentes a presidente do PSDB Mulher Nacional, Solange Jurema, a vice-presidente Nancy Ferruzzi Thame, Jimmyanna Rocha, coordenadora de Rede do 3º Setor do PSDB Mulher Nacional; Flávia Cruvinel, coordenadora de Rede de Ações Afirmativas do PSDB Mulher Nacional; Madalena Sirkis, secretária-executiva do DEM Mulher; Raquel Dias, executiva da Coordenação da Nacional de Mulheres do PPS e Tereza Vitale, coordenadora do Conselho Consultivo da CNM do PPS.

A meta do encontro era chegar ao consenso sobre o perfil ideal para estar à frente da Secretaria de Políticas para Mulheres; uma mulher que reunisse experiência anterior em políticas de gênero e questões sociais, habilidade no contato com o Executivo e com Organismos e Parlamentos internacionais e visão do todo, para que ações de políticas públicas pudessem alcançar sua maior efetividade através da transversalidade que apenas as qualidades descritas acima podem garantir.

Foi decidido que o perfil se encaixava perfeitamente na presidente do PSDB Mulher Nacional, Solange Bentes Jurema.

Reunião suprapartidária com ministro Alexandre de Moraes pede pela manutenção do status da SNPM/ Foto: Allan de Carvalho

Reunião suprapartidária com ministro Alexandre de Moraes / Foto: Allan de Carvalho

Feminista e agente do Direito, Solange Jurema foi presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher em 1999 – e a primeira Ministra de Políticas para Mulheres em 2002 -, e jamais se afastou das políticas sociais e de gênero. De 2007 a 2010, teve participação no governo tucano de Teotônio Vilela, em Alagoas, onde ocupou o cargo de secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social. Em janeiro de 2013, assumiu a Secretaria Municipal do Trabalho, Economia Solidária e Abastecimento, da prefeitura de Maceió, na gestão tucana de Rui Palmeira.

À frente do Secretariado Nacional da Mulher-PSDB, que preside desde 2013, Solange Jurema vem trocando experiências com organismos internacionais como a Fundação Konrad Adenauer e a ONU Mulher, havendo retornado há pouco mais de uma semana da Alemanha, onde teve a oportunidade de visitar o Parlamento alemão e debater a situação política brasileira com parlamentares daquele país. Essa capilaridade garante a Solange um trabalho de excelência a favor das mulheres.

Como já era de se esperar, mal foi lançado, o nome de Solange começou a angariar apoios importantes, inclusive de fora do partido. Uma manifestação de reconhecimento justa, para quem dedicou a vida inteira à política de gênero e aos direitos da mulher, que veio de todos os lados, como a da educadora e ex-Ministra de Assistência Social, Wanda Engel, que comemorou; “Solange Jurema reúne qualidades raras que fazem dela o melhor perfil para a promoção de políticas de gênero no Brasil: sólida experiência, compromisso visceral com o tema, competência técnica de gestão e, especialmente, vocação e habilidade para o diálogo”.

Apoio da ONU Mulher

A sintonia é tamanha que a ONU Mulher já se posicionou: “Solange acumulou na vida política uma qualidade de ações positivas para as mulheres, é experiente, feminista com sólidos projetos”, disse Eva Blay, do Núcleo de Mulheres Feministas da USP e Coordenadora para a América Latina da campanha contra a violência nos campos universitários “Eles por Elas”.

Cristovam Buarque

“Considero muito positivo o movimento a favor da Solange Jurema para ocupar este importante cargo de secretária nacional de Políticas Públicas para as Mulheres.” senador Cristovam Buarque, PPS-DF

Manifestação da Bancada

Com a opção feita, a bancada feminina do PSDB na Câmara dos Deputados começou a se manifestar em apoio a Solange, a exemplo da deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP), que declarou: “Solange Jurema tem a experiência e a sensibilidade necessárias para liderar os temas da Mulher que precisam ser discutidos em nível nacional.”.

Currículo Exemplar

De Alagoas, estado natal da presidente do segmento feminino tucano, veio o apoio de Teotonio Vilela Filho, para quem “Solange Jurema carrega em sua história ética, compromisso público, experiência e a competência necessária para comandar nacionalmente a causa da Mulher.”

Com um currículo imaculado e muita competência, Solange Jurema é um nome forte e a mulher certa para estar à frente da Secretaria de Políticas para Mulheres neste momento em que o governo de Michel Temer se inicia e precisa de muita ajuda, para enfrentar os tempos turbulentos que se aproximam.

Fonte: PSDB Mulher