Você está em:
IMPRIMIR

Comissão mista intensifica no Congresso Nacional debates sobre violência contra mulher

24 de julho de 2017

Comissão mista mulher

Instalada em maio, a Comissão Mista de Combate à Violência contra a Mulher atua no esforço de reduzir os números alarmantes de agressões. Para o próximo semestre, o foco é apelar ao Ministério da Educação para que altere os conteúdos curriculares referentes aos direitos humanos e cidadania sob a ótica da igualdade de gênero.

No primeiro semestre, deputadas e senadoras debateram em detalhes as leis Maria da Penha e do feminicídio que ajudam a informar a sociedade sobre a dimensão da violência contra a mulher. Porém, o esforço vai ser mantido, agora, para trabalhar na tentativa de estimular a consciência, desde a formação da criança, de que a mulher é um ser igual, que tem direito ao respeito.

Os dados relacionados às agressões contra mulheres chocam: uma em cada três sofreram algum tipo de violência no último ano. Só de agressões físicas, 503 mulheres brasileiras são vítimas a cada hora, segundo pesquisa realizada pela Datafolha, no começo deste ano.

De acordo com o Observatório da Mulher contra a Violência (OMV), em 2014, houve 4,6% de assassinatos para cada 100 mil mulheres no país e do total das vítimas, 62% eram negras ou pardas.