Você está em:
IMPRIMIR

Campanha ‘Outubro Rosa’ marca novas ações contra o Câncer de Mama em Minas

2 de outubro de 2013

Na noite desta terça-feira, dia 1º/10, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, SES/MG, deu início às atividades do Outubro Rosa com novas ações e investimentos para o combate ao câncer de mama. Conhecido internacionalmente, o movimento espalha o tom de rosa e estimula a participação da população, empresas e entidades no alerta para os cuidados com a doença que é a que mais mata mulheres no Brasil e que em Minas deve atingir cerca de 4.700 mineiras neste ano.

Durante a solenidade de abertura do Outubro Rosa, no Museu de Artes de Ofícios, em Belo Horizonte, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, destacou a nova faixa etária para a realização de mamografia. Antes, o exame tinha como público-alvo mulheres com idade entre 50 e 69 anos, em 2012 passou a ser de 45 a 69 e agora amplia o recorte ainda mais, podendo ser feito a partir dos 40 anos. Com isso haverá um aumento, para 2014, de 30% na meta estadual de mamografias, beneficiando cerca de 750.000 mil mulheres, o que implica mais que dobrar o número de exames realizados em 2010 e cobrir 50% da população feminina.

A mudança, implantada através do Programa Estadual de Controle do Câncer de Mama, tem como mote diagnosticar a doença de forma cada vez mais precoce e assim aumentar consideravelmente as chances de cura sem sequelas, além da queda na mortalidade. “O combate ao câncer de mama é uma das nossas prioridades e existe uma ação forte do Estado para otimizar toda a cadeia desse processo, desde a promoção da saúde até o tratamento reparativo. Infelizmente ainda há mulheres que chegam para tratamento com um estágio já avançado da doença e por isso o primeiro desafio é alagar a oferta da mamografia. Em Minas temos bom quantitativo de mamógrafos, mas em muitas situações há uma baixa atividade, além dos vazios assistenciais, o que nos faz pensar novas iniciativas”, diz Antônio Jorge, acrescentando, ainda, mais ações do governo. “Fizemos também, recentemente, um processo licitatório para digitalizar os exames para emissão de laudos à distância. Em muitas cidades há o mamógrafo, mas não existe o mastologista ou o profissional que emite o laudo. É importante ressaltar, ainda, que Minas tem o maior número de mamografias per capita na faixa do rastreio (45 a 69 anos). Aqui, também temos a inovação da paciente não precisar de uma consulta para ter direito e acesso a mamografia. Basta estar dentro da faixa etária, se direcionar para a unidade de saúde portando documento de identidade, que ela será encaminhada para uma das clínicas credenciadas”.

A artesã Rosane Dourado de Azevedo tem 40 anos e foi até a Praça da Estação para realizar pela primeira vez a mamografia em um dos mamógrafos móveis que passaram o dia no local prestando o serviço.  “Pela minha idade já quis fazer o exame, porém encontrei dificuldades para liberação através do SUS. Agora, com essa mudança na faixa etária fico mais tranquila e ao mesmo tempo ansiosa para o exame. Minha mãe morreu de câncer de mama, há 13 anos, e isso me motiva a fazer a mamografia regularmente. A iniciativa vai salvar muitas mulheres”, diz.

Para pacientes que residem em cidades do interior com vazios assistenciais ou ausência de profissionais e equipamento de mamografia, a SES, também percorre o Estado com 10 mamógrafos móveis (caminhões equipados para a realização do exame). Ação pioneira no país, de forma prática, a realização do exame não precisa de pedido médico, basta apresentar  documento com foto. A SES também disponibiliza informações, além do formulário de requerimento em seu site ou pela rede social Facebook. Esta ação que já rodou mais de 100 cidades (a meta  é realizar 120 mil exames este ano) e contribuiu para que Minas tivesse bons resultados e passasse de 4º lugar em número de mamografias realizadas para o 2º lugar no país, com 586.649 mamografias em 2012.

Madrinhas

O iniciativa do Outubro Rosa, que em Minas vai iluminar prédios e monumentos públicos em sete cidades (Varginha, Montes Claros, Juiz de Fora, Uberaba, Valadares, Divinópolis e BH, entre outras quase 80 ações), também reuniu na abertura dezenas de madrinhas. São cerca apresentadoras, jornalistas, blogueiras, representantes de instituições e secretárias de Estado, em maioria dentro ou próximas da faixa etária de 40 a 69 anos, que são convidadas a atuarem como parceiras e disseminadoras da importância da mamografia.

Ainda no evento de abertura, Antônio Jorge, assinou juntamente com presidente em exercício do Instituto Mário Penna, Ozânio Pimenta da Silveira, convênio no valor no R$ 7 milhões com a Instituto Mário Penna. O objetivo é a implantação do projeto do novo bloco do hospital Mário Penna, que ocupará 5.975 m² e possibilitará o aumento do número de cirurgias e internações.

Participaram da abertura, ainda, o coordenador do Programa Estadual de Controle do Câncer do Colo do Útero e Mama, Sérgio Bicalho, a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, representando, nesta cerimônia, as madrinhas do Outubro Rosa em Minas Gerais – edição 2013, a coordenadora da campanha Pense Rosa, Patrícia Figueiredo, representando Alice Carta, madrinha nacional do Outubro Rosa, o vice-presidente da Associação Médica de Minas Gerais e representante da Socidedade Brasileira de Mastologia – regional Minas Gerais, Gabriel de Almeida Sílvia Júnior, entre outras autoridades e parceiros.
Mamografia por Telemedicina

Em 2011 foi realizado um repasse de recursos no valor de R$ 200 mil para os municípios sede de Centros Viva Vida de Referência Secundária (CVVRS). Este recurso foi destinado para aquisição de CR (digitalizador de imagens radiológicas), nobreak, ar condicionado e filmes radiológicos.  Nestes CVVRS’s também foi instalado antenas da rede satélite do governo com o objetivo de atender ao projeto.  Ao mesmo tempo, a SES MG fez uma licitação de Laudo de mamografia por telemedicina com Sistema de registro e monitoramento de laudos. Atualmente está em fase de implantação da mamografia por telemedicina, que engloba algumas etapas: Visita local com conferência de rede elétrica e lógica, instalação e configuração de e equipamentos e orientações da equipe local; Capacitação para os profissionais dos CVVRSs: Gerente/coordenador, médico, técnico de Radiologia, recepcionista/ secretária/digitador. A primeira capacitação acontecerá na primeira quinzena de outubro em Sete Lagoas; Unidades em condições de início  e que estão sendo contatadas para agendamento: Brasília de Minas, Campo Belo, Capelinha, Fruta, Itabira, Itabirito, Lavras, Leopoldina, Manhuaçu, Pirapora, Santa Luzia, Santo Antônio do Monte, São João del Rei, São Lourenço, Sete Lagoas, Taiobeiras, Teófilo Otoni, Viçosa, Governador Valadares

Agilidade no diagnóstico

Quaisquer pacientes que realizarem a sua mamografia (pelo SUS ou particular) e o resultado for compatível com Bi-Rads 4, 5 ou 6, poderão fazer a definição diagnóstica (exames complementares) em qualquer um dos 32 Centros de Alta Complexidade em Oncologia (Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia/UNACON, Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia/CACON e Centros de Referência de Alta Complexidade em Oncologia). Para garantir o acesso dessas pacientes, a Secretaria de Estado de Saúde, publicou as Deliberações CIB-SUS/MG Nº 1.115 (Resolução SES Nº 3.259, de 18 de abril de 2012) e 1.049 (Resolução SES Nº 3.687, de 19 de março de 2013), onde, cada um desses 32 centros receberão o valor de R$ 1.000,00 por cada paciente atendida dentro do prazo de até 30 (trinta) dias. A SES criou um portal, onde os agentes (municípios, prestadores, GRS/SRS) envolvidos neste processo, possam acompanhar as informações dessas pacientes com alteração.