Você está em:
IMPRIMIR

Tucanos criticam ação de deputado comunista para tentar barrar CPI da UNE

5 de julho de 2016

Reportagem do “Estadão” do ano passado destacou a obscura obra da nova sede da UNE no Rio de Janeiro (imagem ao centro). Este será um dos objetos de investigação da CPI

Reportagem do “Estadão” do ano passado destacou a obscura obra da nova sede da UNE no Rio de Janeiro. Este será um dos objetos de investigação da CPI

Parlamentares do PSDB manifestaram contrariedade com os sucessivos adiamentos da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará denúncias de irregularidades no uso de recursos por parte da União Nacional dos Estudantes (UNE). Integrante de um partido com ligações estreitas com a entidade, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) inclusive acionou o STF para tentar barrar a instalação.

Para o deputado Bruno Covas (PSDB-SP), a atitude é vergonhosa. Um dos articuladores do colegiado, o deputado Elizeu Dionizio (PSDB-MS) afirmou nesta segunda-feira (04/7) que trata-se de uma manobra protelatória que visa defender os interesses do PCdoB. De acordo com Elizeu, a UNE é uma representação digna e legítima dos estudantes brasileiros, mas que infelizmente parece ter sido tomada de assalto.

Já o deputado Rocha (PSDB-AC) reitera que as investigações devem começar o quanto antes para esclarecer como foram destinados recursos do governo federal. Para ele, representantes do PCdoB tentam desvirtuar a finalidade da CPI dizendo que vão acabar com a UNE. “Queremos apenas esclarecer”, resumiu.

O requerimento de criação da CPI da UNE teve 216 assinaturas. A instalação deveria ter ocorrido há um mês, mas duas reuniões para instalação foram marcadas e canceladas. Conforme lembra Elizeu Dionizio, a instituição é comandada há mais de uma década por pessoas ligadas ao PCdoB, partido da base aliada do governo da presidente afastada, Dilma Rousseff.

“O partido cujos representantes vão a tribuna dizer que são a favor das investigações e da transparência é o mesmo que representa ações judiciais para tentar barrá-las”, criticou. De acordo com o parlamentar tucano, o volume de dinheiro que envolve a entidade estudantil é, por enquanto, difícil de ser enumerado.

São, por exemplo, R$ 44,6 milhões recebidos a título de indenização da União pelos danos sofridos na ditadura militar. O valor obtido das carteiras de estudantes não é fiscalizado e ninguém sabe precisar o valor. Tem ainda a associação da UNE com uma incorporadora para a construção de um edifício comercial de 12 andares na Praia do Flamengo (RJ). “E tem os convênios com o governo federal que, juntos, indicam valores milionários”, disse.

Elizeu Dionizio questiona o quê a UNE tem feito pela educação brasileira. “Nós vimos cortes no no Fies e não houve protestos por parte da UNE, não houve nada”, diz o deputado, reiterando que isso só acontece porque a entidade é um ‘puxadinho’ do PT.

Para ele, as condutas que afrontam a legislação são inúmeros, entre eles a destinação do prédio que está sendo construído no Rio de Janeiro. “É um prédio faraônico, suntuoso que está sendo construído para ser locado e o recurso será revertido sabe-se lá em quê”, disse Elizeu Dionizio. Ele reitera que o prédio construído com dinheiro público não pode ser alugado.

A intenção é que esta semana a CPI seja finalmente instalada, com a escolha de presidente e relator e definição do método de trabalho. “Aí vamos ouvir e ler depoimentos e documentos que comprovarão que tudo aquilo que estamos falando para a imprensa e sociedade sobre atos corruptos praticados por dirigentes da UNE são reais”, concluiu.

Fonte: PSDB na Câmara