Você está em:
IMPRIMIR

Serra critica falta de investimentos do governo federal no metrô e rodoanel de BH

12 de julho de 2010

O candidato à Presidência da República José Serra e os candidatos da coligação Somos Minas Gerais a governador, Antonio Anastasia, e ao Senado Federal, Aécio Neves, participaram nesta segunda-feira, dia 12, de uma caminhada pelas ruas de Venda Nova, no Vetor Norte de Belo Horizonte. Durante o ato político, José Serra criticou a falta de investimentos do governo federal em obras viárias na capital mineira e na Região Metropolitana. Ele destacou o metrô de Belo Horizonte, que é gerenciado pelo Ministério das Cidades e há oito anos não recebe qualquer recurso para ampliação. Nem mesmo um novo quilômetro de linha foi implantado desde 2002.

 
“Não ter mais metrô em Belo Horizonte é um absurdo. Porque metrô tem que se fazer quando a cidade não está muito grande. Belo Horizonte já está grande e não tem um quilômetro de metrô a mais há oito anos”, criticou.

José Serra lembrou que a última ampliação do metrô de Belo Horizonte ocorreu ainda do governo Fernando Henrique Cardoso. Ele garantiu que as obras para as novas linhas serão retomadas caso seja eleito presidente da República.

Serra lembrou que o ex-governador Aécio Neves chegou a apresentar ao governo federal um projeto de Parceria Público Privada (PPP) com o objetivo de conseguir recursos para a construcao da  Linha 2, que liga o Barreiro à região hospitalar, no centro da cidade; e a Linha 3, que interliga as regioes da Pampulha à Savassi. Não houve resposta a proposta.

“Os seis quilômetros de expansão do metrô de Belo Horizonte foram planejados e construídos quando eu era ministro do Planejamento e Orçamento. Você anda pelo Brasil inteiro e não tem mais nada. E metrô é fundamental para a vida das pessoas. O governo do Estado inclusive fez projetos, fez propostas ao governo federal e nada encaminhou”, disse o candidato a presidente.

 

Rodoanel e Aeroporto

José Serra destacou ainda outros dois investimentos fundamentais para crescimento da capital mineira e que não foram priorizados pelo governo federal: a ampliação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, e a construção do rodoanel, planejado para interligar as rodovias BR-381 e BR-262, no entorno da capital. São 64 quilômetros que irão desafogar o trânsito no Anel Rodoviário,  principalmente de caminhões.


Recepção calorosa

José Serra, Antonio Anastasia e Aécio Neves iniciaram a caminhada em Venda Nova pela Praça Santo Antônio. Eles percorreram vários quarteirões do principal centro comercial da região conversando com eleitores e moradores. Funcionários do comercio e pedestres declaravam apoio à mobilização. Muitos fizeram questão de cumprimentar e fazer fotos com os candidatos.

A agente de saúde Maria da Conceição Sabrini, moradora de Santa Luzia, demonstrou seu apoio à candidatura de Antonio Anastasia à reeleição. Segundo ela, a qualidade de vida na região teve grande melhoria na gestão Aécio Neves.

“A saúde está bem melhor que nos anos anteriores. Hoje, temos mais assistência e o Hospital Risoleta Neves está aqui para atender emergências”, disse a moradora.

Principal hospital da região, o Risoleta Neves recebeu do atual governo de Minas investimentos de mais de R$ 57,6 milhões para reforma e ampliação. Hoje, o hospital atende moradores de Belo Horizonte e cidades próximas e é administrado em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O Governo do Estado repassa R$ 50 milhões por ano para custeio do hospital.

Outro morador que sentiu em seu dia-a-dia as melhorias de investimentos do Governo de Minas na região é o comerciante Mário José Lacerda. Dono de uma farmácia na avenida Padre Pedro Pinto, principal via de Venda Nova, ele se lembra de como a situação era difícil.

“Era assalto quase todo o dia. Era muito difícil trabalhar aqui”, disse. Mário José Lacerda afirmou, ainda, que após a implantação do novo modelo de policiamento, com as Áreas Integradas de Segurança Publica (AISPs) , o número de ocorrências policiais caiu drasticamente na região. “Agora a situação é outra. Temos muito mais tranqüilidade para trabalhar”, disse.

 

Regiao Norte mais desenvolvida

A região de Venda Nova, localizada no vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi um dos locais que mais recebeu investimentos do Governo do Estado nos últimos oito anos, principalmente nas áreas de infraestrutura, saúde e segurança pública. Com a construção da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o Estado transferiu a sede do Governo para o bairro Serra Verde, localizado em Venda Nova. Toda a administração direta do Estado está instalada em um complexo de prédios localizados às margens da Linha Verde, via de trânsito rápido que melhorou o acesso ao Aeroporto Internacional, em Confins, e à região.

Venda Nova foi uma das regiões onde foi implantada a metodologia da Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp) adotada em Minas Gerais, que prevê ações conjuntas das polícias Civil e Militar, com metas para combater a criminalidade a partir de dados detalhados sobre a ocorrência, como local, horário, perfil do autor e reincidência.

O prédio que abrigava uma carceragem da Polícia Civil, na avenida Vilarinho, passou por reforma completa para abrigar a nova sede e as antigas celas, com condições precárias e insalubres, foram reformadas e transformadas em salas onde é feito o planejamento da segurança da região, integrando as ações de Polícia Militar e Polícia Civil. A Igesp foram aplicadas em mais de 50 municípios mineiros, entre eles Belo Horizonte e região metropolitana, Uberlândia, Uberaba, Juiz de Fora, Montes Claros, Governador Valadares, Pouso Alegre, Curvelo, Lavras, Ipatinga, Barbacena, Unaí e Patos de Minas.


Veja

Matéria: Caminhada em Venda Nova: Antonio Anastasia, Aécio Neves e José Serra
Entrevista com José Serra e Aécio Neves – Caminhada em Venda Nova – Parte 1
Entrevista com José Serra e Aécio Neves – Caminhada em Venda Nova – Parte 2

 

Confira
Galeria de fotos