Você está em:
IMPRIMIR

Presidente da ALMG aponta contradições entre discurso e propostas de Hélio Costa

20 de setembro de 2010

O candidato a vice-governador pela coligação “Somos Minas Gerais” e presidente da Assembleia Legislativa, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), respondeu às declarações do candidato Hélio Calixto Costa (PMDB) sobre as políticas de renumeração dos professores e de segurança pública do Estado. Alberto afirmou que o candidato adversário, mais uma vez, tenta confundir o eleitor mineiro com informações falsas e também apresentando projetos já implantados pelo Governo de Minas como sendo de sua autoria.

No último sábado, o candidato do PMDB voltou a ignorar os avanços da Lei 18.975/2010 que reajusta os vencimentos dos professores da rede estadual a partir de Janeiro 2011. Hélio Calixto chegou a afirmar também que os partidos que o apoiam (PT e PCdoB) foram contra o projeto, o que, segundo o deputado Alberto Pinto Coelho, não é verdade.

“O projeto do Governo de Minas foi aprovado por atender reivindicação histórica dos profissionais da educação e trazer importantes avanços para a categoria. O candidato do PMDB, Hélio Calixto Costa, insiste em desconhecer a importância desse avanço para os professores e se esquece de dizer, inclusive, que o projeto que alterou os vencimentos dos professores teve o voto favorável no Plenário da Assembleia Legislativa de seus companheiros do PMDB e das legendas que por ora o apoiam – PT e PCdoB”, destacou.  

Pela lei, o professor em início de carreira, com jornada de 24 horas semanais e formação em curso superior de Licenciatura Plena, passará a receber R$ 1.320,00 em parcela única. O professor que fizer opção pela jornada de 30 horas semanais receberá R$ 1.650,00.

Alberto Pinto Coelho lembra que a iniciativa aumenta o salário inicial, incorpora todas as vantagens permanentes, reduz disparidades entre as remunerações de servidores com a mesma função e torna mais atraente a carreira do Magistério, com promoção a cada cinco anos e progressão a cada dois anos. A proposta foi apresentada em vários encontros com superintendentes e diretores de escolas realizados pela Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Segurança

Além de espalhar inverdades, Hélio Calixto Costa também tenta enganar os eleitores se apropriando de programas e ações já implantados pelo Governo Minas. O candidato afirmou que vai criar uma espécie de cordão de isolamento nas divisas de Minas com outros estados reforçando o policiamento no combate ao tráfico de drogas e ao crime organizado.

O que o candidato não explicou para a população é que esse programa já foi implantado pelo Governo de Minas e chama-se Cinturão de Segurança. O projeto foi criado, em 2005, pelo governador Aécio Neves e prevê reforço policial nos municípios distantes até 50 km da linha divisória do Estado, considerada área de interesse estratégico à segurança pública.

As ações do programa estão implantadas em 402 municípios mineiros que receberam 550 novas viaturas e equipamentos como armas e coletes à prova de bala, além de 463 computadores. Nesses municípios, os policiais passaram por cursos de capacitação profissional voltados para o policiamento especializado.

“É também lamentável que o candidato do PMDB não apresente proposta própria, mas tenha que buscar nas ações exitosas do Governo de Minas, inspiração para seu plano de governo. Na área de segurança, Hélio Calixto Costa propõe um projeto aos moldes do que já existe no Governo do Estado, o Cinturão de Segurança. Isso é mais uma clara demonstração de que ele aprova o que vem sendo feito em Minas. Os eleitores estão de olho, as pesquisas já comprovam a nossa liderança, resultado do nosso compromisso com o futuro de Minas e dos mineiros”, destacou Alberto Pinto Coelho.