Você está em:
IMPRIMIR

Por que Anastasia?

7 de julho de 2010

Por Leonardo Távora, do Política em Blog

Estamos chegando a mais uma campanha. Este ano será histórico não porque teremos a primeira eleição da recente história de nosso país sem a participação do Presidente Lula da Silva, mas sim porque estamos cada vez mais amadurecidos politicamente. Nossos pais e avós, que tanto lutaram pela democracia poderão enxergar em nossos votos que nada disso fora em vão. Construímos uma nova história. Sabemos que política não é apenas eleição. Aprendemos que nossos representantes precisam dos nossos olhos atentos sobre o trabalho que desempenham. Democracia não é um sistema perfeito, mas uma construção de sociedade. É assim que devemos encarar este modelo.

Em Minas podemos observar essa democracia de um modo muito claro. Uma construção que culminou no Governo Aécio Neves (2003-2010), sucedido por Antônio Anastasia, o atual Governador do Estado. Este último concorre à reeleição, já que atualmente ocupa o cargo. É comum que cheguemos a um momento deste e, ao ver um homem do qual nunca ouvimos falar, nos perguntemos: Mas por quê? Qual a implicação da eleição (ou reeleição) de Antonio Anastasia? O que ganhamos ou perdemos com isso? Enfim, o que podemos esperar deste novo político que estamos conhecendo? É natural que essas perguntas surjam.

Quando Aécio Neves escolheu o Professor Antonio Anastasia para seu sucessor, ele quis privilegiar uma coisa vista como um mantra em seu governo: A meritocracia. Ao criar o “Choque de Gestão”, o Governador Aécio Neves implantou no estado uma nova visão da administração pública. É como se o governo, que sempre teve a fama de ser uma espécie de mãe, provedor que era de favores e agrados políticos, agora passasse a racionalizar suas ações. Funcionários Públicos que não tinham as ferramentas necessárias para desempenhar seu trabalho as ganharam, e, em contrapartida, passaram a ter metas a cumprir, visando o pleno atendimento das demandas do cliente, que, nesse caso, é a população, a sociedade.

Com isso, costuma-se dizer, Minas “arrumou a casa”, cortando gastos desnecessários e modernizando a máquina pública, o que gerou uma sensível melhora no atendimento ao povo, ao mesmo tempo em que o governo passou a ter um superávit em seu balanço, tendo, agora, dinheiro em caixa para investir em obras e programas sociais que mudaram a face do estado. Hoje, Minas Gerais é um dos melhores estados da federação para se viver, e a meta é que este seja o melhor, sem falsa modéstia, pois, se Minas já era um lugar muito agradável, agora é também seguro, bem estruturado, e com um governo moderno e dinâmico.

“Mas onde entra Anastasia nisso?” Você certamente está se perguntando. Ocorre que a pessoa que pensou, junto com Aécio, todo esse processo foi justamente o atual Governador Antonio Anastasia. Um governo não se faz apenas de uma pessoa, e Aécio conseguiu montar o melhor time que a história mineira já viu pra trabalhar em prol de você, cidadão de Minas. E o pensador desse time é o Professor Anastasia. Claro que ele não pensou tudo sozinho, nem dividiu essa tarefa apenas com o Aécio. Mas, digamos que ele foi o coordenador de idéias dessa empreitada. E deu certo.

Hoje, Minas Gerais desponta na educação, na saúde, na defesa social, na cultura, nas exportações, no turismo, no esporte, em políticas para jovens, e em tantas outras áreas. As estradas estaduais estão recuperadas quase na totalidade, e novas estradas foram feitas. As empresas do Governo trabalham com modernidade e dinamismo, tanto que a CEMIG, só para ficarmos em um exemplo, é citada como modelo a ser seguido inclusive internacionalmente. Cidades históricas, berços da nossa tradição cultural, vêm sendo preservadas e modernizadas, sem perder o ar que a história lhes deu.

Enfim, muitas são as conquistas. E, nos últimos oito anos, Anastasia participou da grande maioria delas. Fruto de um governo que mudou para sempre a lógica mineira de governar, Antonio Anastasia é não apenas o homem que Aécio Neves escolheu para sucedê-lo, mas um dos mais honrados filhos dessa terra, que já deu ao Brasil Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves. Eu voto em Antonio Anastasia porque a democracia é uma construção, e a consolidação das Gerais como o melhor lugar pra se viver não pode parar no meio. É preciso seguir em frente, mas como Aécio fez, sem deixar ninguém para trás. E Anastasia é o homem que continuará esse legado, por Minas, e pelos mineiros.