fotos
Você está em:
IMPRIMIR

No dia da Consciência Negra, Glória e Claudirene contam suas histórias

20 de novembro de 2020

O PSDB elegeu 303 vereadores e vereadoras pardos e pretos. Entre eles, 42 mulheres. Desse total, são 39 homens e 10 mulheres pretas.
“Eu sou feliz e tenho muita honra e orgulho de ser mulher, negra e de periferia, e de ter sido a segunda vereadora mais votada em uma cidade do tamanho de Contagem, ainda mais em um eleição tão atípica como essa de 2020”. Assim, Glória da Aposentadoria resume seu sentimento em relação ao resultado eleitoral que a levou a ocupar, pela segunda vez, uma cadeira na Câmara Municipal de Contagem, na RMBH, a terceira cidade de Minas em população. Foram mais de 4.900 votos que repetem a opção já ocorrida em 2016, quando Glória foi a parlamentar com maior número de votos no município.
Já Claudirene Rodrigues, eleita em primeiro mandato em Paracatu, noroeste do estado, teve 716 votos, compondo a sexta cadeira na Câmara Municipal. “Sou mulher negra, quilombola, moro no bairro Paracatuzinho, com mais de 30 mil habitantes, e sou a primeira mulher eleita lá”, diz orgulhosa. “Trabalho em projetos sociais há mais de 17 anos e tínhamos uma composição na Câmara de Paracatu que não contribuía muito para o desenvolvimento de políticas públicas eficazes”, acrescenta Claudirene. Ainda segundo a vereadora eleita, seu trabalho será defender causas relacionadas à luta das mulheres, especialmente contra todas as formas de violência. Além de Claudirene, foi eleita também Gislene Couto, mulher negra que compõe uma bancada de três vereadores do PSDB em Paracatu.