Você está em:
IMPRIMIR

Minas Gerais terá produção recorde de açúcar e álcool em 2010

26 de julho de 2010

Minas Gerais colherá safra recorde de cana-de-açúcar este ano, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura. São 56,2 milhões de toneladas previstas para o final da colheita em setembro, volume 12,6% maior que o colhido ano passado. Nos últimos anos, o setor sucroalcooleiro tem se destacado no agronegócio mineiro. Das 43 usinas de cana-de-açúcar em funcionamento no Estado, 23 foram implantadas na gestão do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado, e do governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, que estarão no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba nesta segunda-feira, dia 26, visitando as cidades de Araguari, Iturama e Araxá.

Os investimentos do setor no Estado somam R$ 10,1 bilhões viabilizados desde 2003, gerando 60,7 mil empregos diretos, principalmente, no Triângulo Mineiro, onde se concentra a maior parte das usinas.

Segundo a Conab, a produção de etanol pelas indústrias do Estado neste ano irá crescer 11,5% e chegar a 2,5 bilhões de litros. Já produção de açúcar será de 3,2 milhões de toneladas. Um crescimento de 20,8%. Minas é o segundo maior produtor nacional de açúcar e terceiro produtor de etanol.

 

Redução de ICMS

Em 2011, o setor vai ganhar um novo impulso com a redução pelo Governo do Estado da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o etanol. A partir de 1º de janeiro, o imposto será reduzido de 25% para 22%. O Projeto de Lei 4.641/10 já foi aprovado em segundo turno pela Assembleia e aguarda parecer da redação final pelo Plenário antes da sanção pelo governador Antonio Anastasia.

“É um esforço do governo, no sentido de tornar o nosso álcool cada vez mais competitivo. E o álcool é um produto mineiro. Ou seja, o álcool é produzido em Minas, gera emprego em Minas, gera riqueza em Minas, ocupa e produz em terras mineiras. Então, isso é muito importante”, afirmou o governador em entrevista.  

 

Mais álcool nas bombas

Hoje, entre dez carros produzidos no Brasil, nove são bicombustíveis e a medida de redução do ICMS adotada pelo Governo de Minas ampliará a oferta de etanol a preços mais competitivos e provocará um grande benefício para o consumidor final. O governo também reduziu a alíquota de 25% para 12% nas operações das usinas para as distribuidoras. A legislação do ICMS também foi alterada para estabelecer tratamento tributário simplificado para operações dos produtores de etanol, o que representa um componente importante para a diminuição do custo Brasil das empresas, favorecendo, assim, a competitividade desse produto.

 

Desenvolvimento sustentável

O desenvolvimento do setor sucroalcooleiro em Minas Gerais é realizado de maneira sustentável. Em 2008, o ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado Federal, assinou protocolo com o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Minas Gerais (Siamig/Sindaçúcar-MG) para eliminar  totalmente a queima da cana-de-açúcar no Estado até 2014.  Neste período, a queima em Minas será substituída gradualmente pela mecanização.