Você está em:
IMPRIMIR

Minas Gerais prevê recorde do faturamento do agronegócio em 2010

9 de agosto de 2010

O Produto Interno Bruto do agronegócio de Minas Gerais deverá encerrar o ano de 2010 com um valor recorde de R$ 91,6 bilhões. A estimativa é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, que projeta o crescimento com base no desempenho do setor nos cinco primeiros meses do ano. Somente nos primeiros cinco meses do ano, o PIB do agronegócio mineiro cresceu 8,48% na comparação com o mesmo período de 2009.

Com esse desempenho recorde, o Estado passará a ser responsável por 12,3% do PIB do agronegócio do país. É a maior participação de Minas no cenário nacional nos últimos dez anos. Em 2003, esse percentual era de 9,3%. Entre as atividades agrícolas que mais cresceram em Minas estão o café, cana-de-açúcar, batata, banana e laranja. O café é o produto agrícola com maior peso no faturamento em Minas com 33,7% de participação.

O Estado é responsável por metade da safra nacional de café e lidera também a produção brasileira de batata. Minas é o segundo estado no ranking brasileiro da produção de cana-de-açúcar e o quarto produtor nacional de laranja. O PIB do agronegócio representa o faturamento do setor, incluindo a produção básica, agroindústrias e os segmentos de distribuição e insumos.

 

Redução do ICMS do álcool

Na agroindústria de base agrícola, as usinas de açúcar e álcool e as indústrias de celulose foram as que mais contribuíram para o crescimento do PIB do agronegócio deste ano. Minas também deverá ter produção recorde de açúcar e de álcool em 2010, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do governo federal.

A produção de álcool mineira também vai ganhar novo impulso em 2011 com a redução pelo Governo do Estado da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o etanol, de 25% para 22%, a partir de janeiro do ano que vem.

 

Boas estradas para escoar o leite

A produção de leite foi o principal destaque entre as atividades da pecuária de acordo com o levantamento do PIB pelo Cepea. Os indicadores são positivos tanto na produção básica quanto no faturamento das indústrias de leite em pó, leite UHT e queijo mussarela.

Em julho, durante visita ao município de Pompéu (Centro-Oeste), o governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, defendeu uma política nacional de proteção efetiva à cadeia produtiva do leite para reduzir a entrada de produtos importados no país. Minas Gerais é o maior produtor nacional leite, responsável por aproximadamente 30% da produção brasileira. Nos últimos oito anos, o escoamento da produção de leite em Minas foi beneficiado em razão dos investimentos do Governo do Estado na pavimentação e recuperação de estradas.