Você está em:
IMPRIMIR

Minas Gerais lidera geração de empregos no país em junho

25 de julho de 2012

Desempenho mineiro é resultado de 229.145 admissões e 190.661 demissões, o que resultou na criação de 38.484 empregos

Minas Gerais foi o estado brasileiro que mais gerou novos postos de trabalho no mês junho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados, nesta segunda-feira (23), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Esse desempenho é o resultado de 229.145 admissões e 190.661 demissões, o que resultou na criação de 38.484 empregos. Esse número foi de 120.440 mm todo o país.

Em comparação com o mês anterior, foram criados no Estado 5.800 postos de trabalho a mais, uma evolução de 18%. Nos dados nacionais, o desempenho de junho foi pior que o de maio, gerando 19.239 novos empregos a menos, o que representa uma queda de 14%.

O Caged também apontou, na comparação anual, que tanto Minas Gerais quanto o Brasil tiveram desempenho abaixo do mesmo período de 2011. Junho deste ano teve uma geração de 15% menos postos de trabalho que em 2011 para Minas Gerais (15% de queda); e para o Brasil essa redução foi de 94.953 (44% a menos).

Para o secretário de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), Hélio Rabelo, Minas tem muito o que comemorar. “Nossa maior preocupação sempre foi gerar emprego a todos os mineiros. E agora temos a certeza de que nosso trabalho está dando certo. É uma grande alegria estarmos em primeiro lugar na geração de empregos. Hoje temos milhares de vagas abertas nas mais diversas ocupações, disponíveis em 135 unidades de atendimento ao trabalhador do Sine, que estão espalhadas por todo o Estado. E para quem quer conquistar melhores oportunidades, temos cursos em dezenas de áreas de atuação, para qualificar mais de 30 mil mineiros ainda este ano”, anuncia.

Empregos por setor

Dentre os setores, destacou-se no mês de junho o desempenho da agropecuária, do extrativismo vegetal e da caça e da pesca, que juntos geraram 31.002 novos empregos no período. O comércio criou 2.196 novos postos, seguido pela indústria, que registrou novos 2.007.

Comparando com desempenhos anteriores, a indústria segue uma tendência de alta, com 552 postos de trabalho criados a mais que em maio (37,9% de evolução), e 887 em comparação com o junho de 2011 (um expressivo crescimento de 79,2%). Também o setor de agropecuária cresceu em 10.636 postos de trabalho no último mês (52,2%), e 3.086 em comparação com o ano anterior (11%).

De acordo com o coordenador do Observatório do Trabalho, Igor Coura, o resultado pode ser explicado pelo crescimento da agricultura nesta época do ano. “Nesses meses, nossa agricultura cresce fortemente devido aos bons períodos de safra. Mas, além disso, destaca-se a força da indústria mineira. Enquanto no Brasil a indústria se desacelerou a ponto de gerar variações negativas na comparação com períodos anteriores, o setor mineiro conseguiu mostrar uma tendência de crescimento”, afirma.

Coura ressalta que se esse ritmo se mantiver, Minas vai continuar sustentando um crescimento razoável até o período de alta da indústria, que começa no penúltimo trimestre do ano. “Passar por toda esta instabilidade econômica sem apresentar números negativos já será uma vitória”, conclui.

Fonte: Agência Minas