Você está em:
IMPRIMIR

Líderes querem esclarecimentos sobre denúncia contra José Dirceu

10 de maio de 2011

Deputados e senadores tucanos pretendem esclarecer a denúncia de participação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu em esquema de tráfico de influência em favor da Delta Construções, a empreiteira que mais recebeu recursos de obras do governo federal no ano passado. Na Câmara, os líderes do PSDB, Duarte Nogueira (SP), e da Minoria, Paulo Abi-Ackel (MG), protocolarão requerimento na Comissão de Minas e Energia convidando o presidente do Conselho de Administração da empresa, Fernando Cavendish Soares, para falar sobre o escândalo. Outros dois requerimentos serão apresentados às comissões de Fiscalização e Controle e Turismo e Desporto.

 

Na opinião de Abi-Ackel, o escândalo servirá para esclarecer a influência de José Dirceu no governo federal desde a sua cassação. O petista é apontado como mentor do esquema do mensalão e citado em outros escândalos. “Precisamos ouvir o empresário Fernando Cavendish para que ele não só confirme as denúncias contra o ex-ministro, mas dê nome aos demais políticos que ele menciona como corruptos”, afirmou.

 

No Senado, o líder tucano, Alvaro Dias (PR), afirmou que entrará com representação no Ministério Público para apurar a denúncia de tráfico de influência e outras ilegalidades praticadas com o dinheiro público. Dias vai ainda apresentar requerimento na Comissão de Constituição e Justiça para ouvir os envolvidos.

 

Em discurso no plenário, Dias considerou a denúncia grave e cobrou explicações. “Os empresários mencionaram a realização de uma reunião com Cavendish, em que o dono da Delta teria dito que não iria pagá-los porque, para ele, era mais fácil e barato comprar político, e que com seis milhões poderia até mesmo comprar senadores. Esta é uma denúncia grave que precisa ser esclarecida”, reprovou o tucano. Dias acrescenta que a generalização “é burra, desvaloriza os corretos e protege os desonestos”.

 

A denúncia veio à tona na edição desta semana da revista “Veja”. Os engenheiros José Augusto Quintella Freire e Romênio Marcelino Machado, ex-donos da Sigma Engenharia (empresa adquirida pela Delta Construções em 2008), disseram à revista que o ex-ministro da Casa Civil foi contratado para aproximar Fernando Cavendish de pessoas influentes do PT.

 

Fonte; Diário Tucano