Você está em:
IMPRIMIR

Inaugurado mais um espaço do Circuito Cultural Praça da Liberdade

30 de novembro de 2010

O governador Antonio Anastasia entregou à população, nesta terça-feira (30/11), o Memorial Minas Gerais-Vale, mais um espaço cultural que integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. Implantado numa parceria do Governo de Minas com a mineradora Vale, o Memorial Minas Gerais-Vale recebeu R$ 27 milhões em investimentos e ocupa o antigo prédio da Secretaria da Fazenda, na esquina da Praça da Liberdade com a rua Gonçalves Dias.

 

O Memorial conta a história de Minas Gerais, suas memórias e costumes. Em um mesmo espaço está reunida toda a riqueza cultural do Estado, desde o século XVIII até o cenário contemporâneo, incluindo uma perspectiva futurista.

 

Até o dia 28 de janeiro, as visitas monitoradas ao Memorial Minas Gerais-Vale devem ser agendadas por telefone (31-3343-7317). Após esta data, a visitação estará aberta ao público em geral.

 

Para o governador Antonio Anastasia, o Memorial é um espelho da diversidade mineira, da cultura e das suas tradições em harmonia com a tecnologia. Ele destacou que a qualidade do acervo apresentado no Memorial e desenvolvido pelo designer Gringo Cardia transforma o espaço em uma atração cultural de nível internacional.

 

“É algo internacional que Belo Horizonte, Minas está recebendo. Todos nós mineiros vamos ficar orgulhosos desse Memorial que retrata a nossa história, as nossas tradições. Temos aqui um espelho muito belo da diversidade mineira. Temos cultura, artesanato, história, arte, tudo colocado de maneira muito harmônica. O Memorial, de fato, é um belo reflexo da alma mineira”, disse o governador, após visitar o prédio, ao lado do presidente da Vale, Roger Agnelli.

 

Circuito Cultural

Além do Memorial Minas Gerais – Vale, fazem parte do Circuito Cultural Praça da Liberdade e já estão abertos ao público o Espaço TIM UFMG do Conhecimento, o Museu das Minas e do Metal – EBX, a Biblioteca Pública Luiz de Bessa, o Arquivo Público Mineiro, o Museu Mineiro e o Palácio da Liberdade.
Já estão também em obras o Centro Cultural Banco do Brasil, que ocupará o antigo prédio da Secretaria de Defesa Social; o Centro de Arte Popular – Cemig, no prédio do já extinto Hospital São Tarcísio; e o Museu do Homem Brasileiro, no prédio da Secretaria de Viação e Obras, numa parceria com a Fundação Roberto Marinho.

 

Ainda estão previstos para integrar o Circuito Cultural Praça da Liberdade o Museu do Automóvel, a ser instalado em área do complexo do Palácio da Liberdade, e o Museu Clube da Esquina, que ocupará o prédio onde está o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas). Também será aberto um hotel padrão cinco estrelas no antigo prédio do Ipsemg, em fase de licitação.

 

O ex-governador e senador eleito Aécio Neves, que também participou da inauguração do Memorial Minas Gerais – Vale, lembrou que o Circuito Cultural da Praça da Liberdade só se tornou realidade com a parceria entre o Governo de Minas e a iniciativa privada. Os prédios antigos e com estrutura precária foram restaurados para se tornarem espaços culturais.

 

“No início do nosso governo, esses prédios estavam todos deteriorados, sem condições de funcionamento, inclusive das atividades públicas de governo. Houve um esforço enorme do governo na busca de parcerias, constituímos parcerias em todo Circuito da Praça da Liberdade e essa que já foi a praça do poder passa a ser a praça do povo. Estamos constituindo no coração de Belo Horizonte o mais completo circuito cultural do país”, disse Aécio Neves.

 

Interatividade

O presidente da Vale, Roger Agneli, ressaltou a importância para a empresa de participar de um projeto tão importante para a história de Minas e do Brasil. Para ele, o mais importante será a participação ativa das crianças no espaço, que permite a interatividade entre os visitantes e as alas, montadas com tecnologia avançada para permitir uma proximidade maior dos mineiros com a sua história.

 

“Ficou lindo por mostrarmos um pouco da história de Minas, da civilização. A história do Brasil passa por Minas e a Vale está feliz por viabilizar esse projeto. A gente fica imaginando as crianças visitando cada uma dessas salas e ter um pouco de tecnologia, bem avançada. As crianças vão ficar encantadas de ver tudo e manter uma interação muito grande“, disse o presidente da Vale.

 

Com o uso de tecnologia de interatividade, o memorial foi dividido em três eixos temáticos: Minas Visionária, Minas Imemorial e Minas Polifônica, ponto de partida para a distribuição das salas. O Memorial conta com uma cafeteria e auditório para 100 pessoas, midiateca e espaços para projetos educativos. A expectativa é a de que 30 mil pessoas visitem anualmente o Memorial.

 

Homenagens
Durante a visita ao Memorial Minas Gerais-Vale, o governador Antonio Anastásia pode ver de perto um pouco da história da vida dos mineiros, a história de Belo Horizonte, da família mineira, da política, do desenvolvimento do povo mineiro e da sua arte consagrada mundialmente com o barroco. Grandes nomes da literatura mineira como Carlos Drummond de Andrade e Guimarães Rosa são reverenciados com uma sala criada especialmente para eles.

 

A filha de Guimarães Rosa, Vilma Guimarães Rosa, participou da inauguração da sala e foi homenageada com uma tela representando o memorial de autoria do designer Gringo Cardia. Também receberam o presente o governador Antonio Anastasia, Aécio Neves, o secretário de Estado da Cultura, Washington Mello, o ex-governador Francelino Pereira, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, e pessoas que participaram da viabilização do Memorial.

 

Fonte: Agência Minas