Você está em:
IMPRIMIR

Governo federal incentiva guerra fiscal nociva, diz senador Azeredo

21 de dezembro de 2010

Em pronunciamento nesta terça-feira (21/12), o Senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) manifestou estranheza com relação ao fato de o Presidente Lula ter editado medida provisória concedendo incentivos para que nova fábrica da Fiat se instale em Pernambuco. O texto favorece unicamente esse estado nordestino, em detrimento às demais unidades da Federação. “?É bom que Pernambuco de se desenvolva. Mas não cabe ao Presidente da República uma interferência como a que foi feita, incentivando até a guerra fiscal nociva para os Estados”?, afirmou Azeredo.

 

O Senador também destacou que, até agora, entre os 34 titulares da Esplanada anunciados pela presidente eleita Dilma Roussef, apenas um é mineiro. “?Por esses exemplos, podemos ver como o Governo vem tratando o nosso Estado?”, concluiu Azeredo.

 

Política externa

 

O Senador, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, criticou a política externa adotada pelo Governo Federal, de se aproximar de países que não respeitam os direitos humanos, como Irã e Venezuela. A declaração foi feita durante pronunciamento na sessão especial que concedeu, nesta terça-feira, 21/12, a Comenda de Direitos Humanos Dom Hélder Câmara a personalidades que trabalharam pela garantia dos direitos humanos no País.

 

Para o senador, apesar de dar atenção à questão dos direitos humanos no âmbito interno, o Governo descuida da questão ao manter relações com Estados que não garantem direitos básicos aos seus cidadãos. Azeredo disse que o Governo deve estar em alerta permanente para não ser conivente com esses países.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Eduardo Azeredo