Você está em:
IMPRIMIR

Exportações de MG alcançam o melhor resultado após a crise internacional

4 de agosto de 2010

As exportações de Minas Gerais apresentaram crescimento acima da média nacional em julho deste ano. O valor das vendas externas atingiu US$ 2,82 bilhões, o que representou aumento de 78,1% em relação ao mesmo mês de 2009. O desempenho de Minas foi bem melhor que a média do Brasil, que no mesmo período apresentou crescimento de 18,2% nas exportações. Em relação ao mês de junho, as exportações mineiras aumentaram 11,7%.

Foi o melhor resultado alcançado por Minas, nas exportações, desde outubro de 2008 (US$ 2,58 bilhões), com o agravamento da crise financeira internacional. O bom desempenho das vendas externas mostra que o Estado se recuperou em ritmo mais acelerado do que o restante do país. Os números do comércio exterior foram analisados pela Central Exporta Minas – a partir de dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Em novembro de 2008, no auge da crise, o governo Aécio Neves adotou uma série de medidas para ajudar empresas de vários setores a enfrentar os efeitos da restrição de crédito internacional. O conjunto de ações incluiu a manutenção de todos os investimentos públicos previstos, principalmente em infraestrutura e a criação de linhas especiais de financiamento disponibilizadas pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Este pacote representou a injeção de R$ 1,3 bilhão na economia mineira. 

 

Linhas de Crédito

As ações do governo de Minas Gerais beneficiaram, entre outros setores, as micro, pequenas e médias empresas, que tradicionalmente são grande geradoras de empregos. O BDMG passou a contar com recursos da ordem de R$ 20 milhões, por meio do Fundo de Fomento e Desenvolvimento Socioeconômico do Estado de Minas Gerais. O valor máximo de financiamento para capital de giro, pelo Programa Empresa Mineira Competitiva, no âmbito do Fundese, dobrou de R$ 1 milhão para R$ 2 milhões, por empresa.

O BDMG alterou também os critérios para a concessão de financiamento para capital de giro para empresas de qualquer porte e setor de atividade. A linha BDMG Giro Fácil teve o valor máximo de cada operação ampliado de R$ 2 milhões para R$ 3 milhões. O conjunto de medidas adotadas também beneficiou as cooperativas de crédito, permitindo maior oferta dos recursos para micro empreendimentos e pequenos produtores rurais.

Já o financiamento na aquisição de máquinas e equipamentos contou com R$ 200 milhões em recursos próprios do BDMG, com taxas mais competitivas, o que favoreceu a manutenção dos níveis de investimento da indústria mineira frente à demora na liberação dos recursos do Finame, linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

 

Medidas tributárias

No campo tributário, o prazo para o recolhimento de impostos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foi ampliado. Por um período de seis meses, as empresas do Estado tiveram mais prazo para o recolhimento do imposto. A medida representou liquidez maior às empresas para cerca de 90 mil empresas, o que representou 73,3% do total de contribuintes no regime de recolhimento por Débito e Crédito. Outra medida de forte impacto, anunciada pelo Governo de Minas, foi a ampliação da possibilidade de uso ou transferência de crédito acumulado de ICMS para o pagamento de débito do próprio imposto.