Você está em:
IMPRIMIR

Eduardo Azeredo destaca ações de seu mandato no Senado Federal

9 de dezembro de 2010

O Senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ocupou a Tribuna nesta quinta-feira, dia 9, para fazer uma avaliação de seus oito anos de mandato no Senado Federal. Eleito Senador em 2002, Azeredo agradeceu a confiança do povo de Minas Gerais que, neste ano, o elegeu para uma vaga na Câmara dos Deputados. “Continuarei honrando meu Estado e seus cidadãos com muito trabalho e ética no trato da coisa pública”, afirmou. 

 

Trechos do discurso de Azeredo 

 

Apoio à acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência

Inauguramos no Senado a Subcomissão de Assuntos Sociais da Pessoa com Deficiência, ainda em 2004. Temos, no Brasil, uma das legislações mais avançadas do mundo. Mas ainda precisamos de ações públicas e particulares capazes de dar às pessoas com deficiência mais oportunidades de trabalho, lazer e convivência. 

 

Saúde

Desde o início de meu mandato, sou membro da Frente Parlamentar da Saúde, trabalhando, entre outras questões, pela regulamentação da Emenda 29, que assegura recursos mínimos para o financiamento das ações e serviços do setor.  Também tive a honra de ser relator, nesta Casa, do projeto que instituiu os Consórcios de Saúde. 

 

Participação nas Comissões

Atuei ativamente nas comissões, debatendo e buscando soluções para as questões relativas à educação, à cultura, à segurança pública, ao meio ambiente, ao trabalho, emprego e Previdência Social. 

 

Defesa dos investimentos em infraestrutura

O Governo Federal deve adotar soluções rápidas para modificar o estado de insuficiência em que se encontram nossas rodovias. Essas soluções, que continuarão em minha pauta de atuação, incluem o uso efetivo dos recursos da Cide, a conclusão dos processos de concessão e a utilização das Parcerias Público-Privadas.

 

Sou e continuarei sendo um defensor dos metrôs e trens metropolitanos. Não há solução mais inteligente para as grandes cidades. 

 

Relações Exteriores e Defesa Nacional

Presido a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional desde 2009. Neste tempo, tivemos a oportunidade de promover debates em torno de situações de suma importância para o Brasil, como é o caso da adesão da Venezuela ao MERCOSUL. Pessoalmente, assumi a posição contrária, por achar que a Venezuela, sob Hugo Chávez, é uma ameaça à harmonia no Mercado Comum.

Na condição de presidente da CRE e como cidadão, sempre adotei posição crítica à aproximação do Brasil com Estados que não primam pela democracia, como Irã e Venezuela. 

 

PSDB

O PSDB que, por escolha democrática, passou à personagem de oposição, o fez e continuará fazendo de forma responsável, pensando sempre no que é melhor para o Brasil e para os brasileiros. 

 

Agradecimento a Minas Gerais

Tendo meu pai, Renato Azeredo, como exemplo maior, continuarei honrando meu Estado e seus cidadãos. 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Eduardo Azeredo