Você está em:
IMPRIMIR

Debate da Band Minas: confira os principais trechos de respostas de Anastasia

13 de agosto de 2010

Data: 12-08-10

Local: Belo Horizonte – MG

 

Governo Aécio Neves

Há oito anos Aécio Neves me convidou para trabalharmos juntos, para melhorarmos as condições de Minas. E fizemos muito. Com muita coragem, muita ousadia, muita determinação, avançamos bastante, fizemos muito. Claro que não fizemos tudo. Nenhum governo consegue realizar tudo. Mas acho que os resultados são muito positivos. Quanto a essa pergunta, acredito que temos o que mostrar. O modelo de governar em Minas Gerais hoje é uma referência não só no Brasil, até em termos internacionais. Todos sabem que o modelo mineiro tem sido copiado por outros estados governados por partidos que estão em oposição. Da mesma forma, o Banco Mundial e o Banco Interamericano têm a nossa gestão como modelo. É gastar bem o dinheiro do povo. Gastar com responsabilidade, com ética e com eficiência, sempre foi nosso primeiro compromisso. Agora mesmo recebemos a boa notícia do Ministério da Educação. A educação pública mineira é a melhor do Brasil. Por quê? Porque investimos bem os nossos recursos e colocamos as crianças em primeiro lugar, no Brasil, aos seis anos na escola. E com isso, estamos fazendo uma transformação. Uma transformação na vida das pessoas, sempre para melhor.


Choque de Gestão

Acho que a campanha é o momento oportuno para fazer esclarecimentos de modo muito claro e verdadeiro. Talvez os candidatos precisem conhecer mais a realidade de Minas e ver o que foi feito ao longo desses últimos oito anos. Porque os mineiros sabem. Os mineiros que estão na capital e no interior estão vendo as obras, as estradas, as antenas da telefonia celular, o saneamento da Copanor, as 1.600 unidades básicas de saúde, a Linha Verde. Todas as obras realizadas pelo Estado, a reforma de quase todas as escolas estaduais, os funcionários com pagamento em dia, as polícias valorizadas e com acréscimo do seu efetivo, a criminalidade caindo, um ambiente de prosperidade que indica melhor educação, maior número de empregos e o PIB crescendo. As pessoas talvez, longe de Minas, vivendo aqui ausentes, não tenham conhecimento da realidade do estado e o clima de reconhecimento do que Aécio Neves fez nesses anos. Eu estava ao seu lado durante todo esse período, com muito orgulho. É verdade que não sou Aécio Neves, nenhum de nós é, mas sou aquele que fui escolhido por ele, para trabalhar com ele, e dar continuidade a seu trabalho com muito orgulho e sempre com muita coragem. Essa continuidade com avanço é nosso maior propósito, e mostramos aos mineiros, de modo claro e transparente, o que foi realizado. E os mineiros que estão me assistindo agora nas suas cidades sabem o que foi feito. Em toda cidade de Minas tivemos uma obra importante.

 

Servidor público

Temos em Minas Gerais uma questão interessante quanto ao funcionalismo. Avançamos muito nesses últimos anos. O piso, na realidade, ele só existe em lei federal para algumas categorias, como o Magistério, que é adotado em Minas Gerais, inclusive agora, com a nova legislação aprovada pela Assembleia, recentemente. É bom lembrar que em matéria de remuneração de servidores, conseguimos alguns feitos que ninguém acreditava. Conseguimos colocar os salários em dia, pago no 5º dia útil. Conseguimos pagar o 13º todo mês de dezembro. Muitos não faziam isso há mais de dez anos e hoje dizem: “Mas é a obrigação.” É uma obrigação que muitos não faziam no passado. Concedemos o 14º salário com o prêmio produtividade, estabelecemos os Planos de Carreira.

É claro que ainda temos de avançar mais, sou o primeiro a reconhecer, até como servidor público de carreira que sou e filho de uma professora do Estado, que precisamos aumentar a nossa remuneração. Mas, não só é muito bom conceder o reajuste, mas também poder pagá-lo, honrar esse pagamento. E também de acordo com o que permite o orçamento e a lei de responsabilidade. Vamos estabelecer um critério que já propusemos no passado, de reajustes periódicos com base na variação do ICMS, que é o grande tributo do Estado. Aí, certamente, teremos reajustes periódicos com base naquilo que o Estado arrecada. E teremos, certamente, uma situação melhor para todos os servidores naquilo que já avançamos em relação ao passado. Temos que ser realistas, porque promessas vãs, fáceis e ilusões são fáceis vender, mas ficar no comando, governar com responsabilidade já não é tão fácil.

 

Transportes

Fizemos em Minas algo que ninguém acreditava. Levamos asfalto a mais de 200 municípios e só quem mora em um município como esse, com poeira e com lama, pode imaginar o que significa uma obra revolucionária como esta. Agora, estamos propondo no nosso Plano de Governo um novo programa, chamado Caminhos de Minas, para interligar as regiões e melhorar ainda mais o nosso desenvolvimento, agregando valor aos produtos mineiros. E, mais do que isso, vamos apresentar uma proposta inovadora: Minas, um Estado logístico. Ou seja, pela nossa posição, vamos estabelecer forte cooperação com as empresas privadas, com os mecanismos internacionais e com o governo federal, para termos aqui as melhores ferrovias e potencializarmos a nossa localização e conseguirmos empregos de qualidade, que é a grande obsessão de todos os mineiros.

 

Regionalização da saúde

A política pública de saúde, de longe, é das mais importantes que temos não só em Minas, mas no Brasil, porque mexe com aquilo que é fundamental para cada um, que é a sua própria vida, da sua família, dos seus entes queridos. Fizemos um processo, ao longo desses últimos anos, de forte descentralização da saúde. Fizemos um projeto chamado de Pro-Hosp, com o objetivo de fortalecer os hospitais do interior. Foram 130 hospitais, em mais de 115 cidades, reformados, aparelhados e aprimorados. Isso diminuiu muito a procura de hospitais para outras cidades maiores.  Então, conseguimos, de fato, que o cidadão tivesse um atendimento local e isso é fundamental.  Já fizemos muito. É claro que ainda não está perfeito, nós vamos continuar avançando através da criação de uma grande rede de hospitais regionais, que está no nosso Plano de Governo. Esses hospitais regionais terão uma complexidade ainda maior que os atuais atendidos pelo Pro-Hosp. E assim, cada vez mais, cada mineiro e cada mineira poderá ficar na sua cidade e na sua região e ter o atendimento de qualidade, com uma saúde tranqüila, garantindo a todos os seus uma saúde de qualidade e, naturalmente, com felicidade, tranqüilidade e qualidade de vida, que é o mais importante.

Minas é o Estado que tem a maior cobertura de Programa Saúde da Família do Brasil, atendendo exatamente com esse objetivo preventivo. E, igualmente, nós criamos ao desses anos, 1.600 Unidades Básicas de Saúde para esse primeiro atendimento nas cidades, especialmente nas cidades menores que não tinham quase nenhum atendimento. Essa grande rede de Unidades Básicas de Família, do Programa Saúde da Família, os hospitais do Pro-Hosp e agora os hospitais regionais vão completar uma grande rede pública de saúde forte, coesa, que vai melhorar ainda mais a saúde pública no nosso Estado.

 

Indicadores de desempenho

Os indicadores de saúde de Minas, hoje, são muito melhores do que eram há alguns anos e as pessoas percebem. A educação do Brasil, e Minas é considerada a melhor do Brasil por indicadores do Ministério da Educação. E enquanto o Ministério do Desenvolvimento Social manteve um ranking da assistência social, qual estado estava em primeiro lugar? Minas Gerais. O Travessia e o Poupança Jovem são projetos exemplares da área social. Falta conhecimento, falta conhecer bem Minas e um compromisso maior com a verdade, que é tão importante pra todos nós, mineiros.


Royalties do minério

Vou aproveitar esse momento para esclarecer uma questão importante que foi dita em relação ao royalty. Nós somos totalmente favoráveis à revisão dos royalties dos minérios em Minas. Mas é bom lembrar que essa é uma matéria de competência exclusiva da esfera federal. Então nós temos que indagar aos candidatos, especialmente, aqueles que os partidos têm ampla maioria na Câmara e no Senado, o que foi feito nesses últimos anos. Porque não houve a revisão da Lei Kandir? Por que não houve a modificação dos royalties, se esses partidos tinham maioria expressiva? É claro que Minas precisa dessa modificação, e nós vamos lutar muito por isso. Sem alterar o preço final, mas determinando que o royalty vá favorecer o município e, de fato, evitar a exploração e degradação ambiental.

 

Considerações finais de Antonio Anastasia

Quero dizer que sou candidato ao Governo de Minas, à minha reeleição, não por um desejo pessoal, mas representando um projeto que está dando certo em Minas Gerais. Um projeto que começou lá atrás, quando Aécio iniciou sua caminhada em 2003 e me chamou para estar ao seu lado, andando por toda Minas. E assim conseguimos um novo jeito de fazer política, um jeito verdadeiro, um jeito com sensibilidade que os mineiros gostam. Realizamos muito, fizemos demais, avançamos muito. Não fizemos tudo, nenhum governo é capaz de fazê-lo, mas acredito que temos condições de continuar avançando ainda mais. Citava-se há pouco, a saúde. A mortalidade infantil em Minas nos últimos sete anos caiu 22%. Então parece que há desconhecimento.

Conseguimos incluir na área da educação indicadores que, digo e repito, orgulham muito a nós todos mineiros, a melhor educação do ensino básico do Brasil, dados do Ministério da Educação. Só nesses primeiros meses do ano, criamos mais empregos em Minas do que os outros estados da federação – 20% do Brasil – e temos só 10% da população. O nosso PIB foi de 12,2% contra 9% do Brasil. São números excelentes. A redução da pobreza em Minas foi maior que a do Brasil e esse é um indicador que não era tão bom na década de 90. Ou seja, nós estamos avançando mais do que o Brasil e eu não precisava dizer aqui estes números, porque eu tenho certeza, a mais serena e a mais franca, que você que está nos assistindo, que é mineiro, se orgulha de Minas, você sabe disso. Você sente, sente que é um governo que tem planejamento, parceria e seriedade. Eu não sou candidato de fazer falsas promessas, criar ilusões, criar mentiras, jamais. Não me presto a este papel.

A minha vocação de servidor público de carreira, de professor, não me permitiria essa demagogia. Ao contrário, estou aqui com a minha tranqüilidade, com a minha face limpa, exatamente para com a minha honra e com o meu conhecimento do Estado, para trabalhar, trabalhar firme por Minas Gerais, como fiz ao longo de toda a minha vida, quase trinta anos dedicados a Minas. Gostei muito desses anos ao lado de Aécio, porque pude ver a mudança das pessoas e a felicidade das obras que levamos por Minas inteira. Sou candidato não por aquilo que fizemos, mas por aquilo que vamos fazer. Por isso eu peço para continuar com o seu apoio, o seu carinho, a sua confiança. Peço o seu voto para continuar transformando para melhor, para muito melhor, a vida dos mineiros.

 

Desigualdades regionais

Nós temos um problema em Minas, conhecido, de desenvolvimento regional. Temos de nos esforçar para fazermos um desenvolvimento regional integrado, mas para isso nós fizemos primeiro fazer um dever de casa, que é exatamente levar a infraestrutura necessária para atrair empregos e empresas de boa qualidade para as diversas regiões de Minas. Não adianta nada nos esforçarmos para levar empregos e melhorar as desigualdades nos locais que não têm infraestrutura. Por isso o grande esforço que fizemos ao longo desses anos, para fazer as estradas, levar telefonia celular a todos os municípios, melhorar o saneamento, melhorar as escolas, reformas os postos de saúde, incrementar a segurança. E agora começamos a ter algo muito bom, que é exatamente a presença de novos empregos e novas empresas nessas regiões, porque passamos a ter um ambiente de negócios, passamos a ter confiança. Isso é muito positivo e evidentemente, que a consequência desse ambiente positivo será a diminuição da desigualdade. Mas é claro que essa diminuição é gradativa. Ela não vai acontecer do dia para a noite, mas já vem ocorrendo em Minas Gerais. Já observamos hoje que algumas regiões do Estado estão crescendo, e Minas como um todo. É bom lembrar: nosso PIB cresceu neste ano 12,2%, enquanto o Brasil teve um crescimento de 9%. A nossa média foi maior, como também o número de empregos gerados aqui foi superior, o que já sinaliza um caminho muito bom. No nosso governo, Aécio e meu, nós conseguimos algo também que ninguém imaginava, conseguimos aplicar três reais per capita nas regiões Norte, Jequitinhonha e Mucuri, em relação a um real que era aplicado nas demais regiões do Estado, exatamente para diminuir as desigualdades, nesse processo gradativo de gerar um ambiente para termos ali renda e melhora qualidade de vida. Estamos conseguindo fazê-lo e o nosso esforço é continuar nessa linha: desenvolvimento integrado, com parceria com os municípios e com muito planejamento, porque é assim que se faz um governo sério e honesto.

 

Leia também
Anastasia se destaca na TV no primeiro da série de debates que marcarão campanha eleitoral em Minas
Enquete do Portal IG confirma: Antonio Anastasia foi o melhor no debate da Band Minas