Você está em:
IMPRIMIR

Coligação ajuíza representação por suspeita de fraude em pesquisa

15 de julho de 2010

A coligação “Somos Minas Gerais”, que defende a reeleição do governador Antonio Anastasia ao Governo do Estado, ajuizou na Procuradoria Regional Eleitoral de Minas Gerais, nesta quinta-feira, dia 15, uma representação contra o Instituto Sensus por suspeita de fraude na pesquisa eleitoral registrada na última terça-feira, dia 13, referente à disputa pelo Governo de Minas Gerais.

O anúncio foi feito à imprensa pelo presidente do PSDB em Minas Gerais , deputado federal Narcio Rodrigues, na sede do partido, em Belo Horizonte. Ele estava acompanhado do vice-presidente regional do Partido da República (PR), deputado federal José Santana, e do candidato a vice na chapa do governador Antonio Anastasia, deputado estadual Alberto Pinto Coelho.

Narcio Rodrigues disse que a pesquisa do Sensus tem fortes indícios de favorecer um dos adversários do governador Antonio Anastasia. “É uma pesquisa com sérios indícios de fraude na construção do resultado final”, disse o deputado, que apontou quatro suspeita de irregularidades.

 

Irregularidades

A primeira é o fato de o resultado da pesquisa ter sido divulgado no dia 14, apenas um dia depois de registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A legislação eleitoral determina que este prazo seja de pelo menos cinco dias após o registro.

O segundo indício de irregularidade é que no registro junto ao TRE não estão identificado os municípios e os bairros abrangidos pela pesquisa, informações obrigatórias previstas na legislação eleitoral.

“Não contém o local onde foram aplicados os questionários, as cidades e os bairros onde foram aplicados os questionários, e isso faz parte da exigência legal para publicação. Está claro que o Instituto Sensus – e eu estou no mercado de pesquisas há muitos anos – se presta a um serviço que é, na verdade, de deturpar um quadro, que deve ser primado pela transparência e que esperamos que seja o palco de um grande debate para Minas Gerais. Siga as tradições de Minas, que permita o eleitor mineiro escolher de forma transparente, segura, aquele que será o futuro governador do Estado”, disse Nárcio Rodrigues.

 

Propaganda irregular

A terceira irregularidade é que em pergunta do questionários apresentado aos entrevistados consta propaganda a favor de um dos candidatos ao Governo do Estado.

A quarta irregularidade diz respeito ao patrocinador da pesquisa, registrada no TER-MG em nome do Partido da República (PR). O vice-presidente estadual da legenda, deputado federal José Santana, disse que a Executiva Estadual do partido desconhece o registro, pois, conforme o parlamentar, a direção do partido não contratou o Sensus.

“A executiva teria que estar ciente da pesquisa e nenhum deles, nem o secretário, nem o tesoureiro, nem o vogal foram comunicados dessa pesquisa”, disse o deputado José Santana.

Narcio Rodrigues acrescentou que a coligação “Somos Minas Gerais” ficará atenta às tentativas de fraudes em pesquisas eleitorais. “Vamos ficar vigilantes e denunciar qualquer ação que venha artificializar o processo eleitoral em Minas”, afirmou.

 
 


Downloads

Representação ajuizada pela coligação Somos Minas Gerais 


Formulários da pesquisa Sensus
Texto 1
Texto 2
Texto 3