Você está em:
IMPRIMIR

Anastasia quer implantar política de atração de empresas para ampliar geração de empregos

18 de agosto de 2010

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição pela coligação “Somos Minas Gerais”, afirmou que implantará um programa de atração de empresas âncora para estimular a geração de empregos em todas as regiões do Estado como forma de aumentar a renda da população e melhorar ainda mais os indicadores sociais do Estado. Durante jantar de adesão que reuniu na noite de ontem, dia 17, em Nova Lima, cerca de 800 empresários dos mais diversos segmentos da economia mineira, Antonio Anastasia também afirmou que estuda novas formas de tratamento diferenciado da carga tributária para valorizar as vocações econômicas de cada região. 

“Estamos com várias propostas, inclusive de criar um programa de incentivos estratégicos para empresas específicas, para gerar empregos de qualidade pelo Estado, agregando valor aos produtos mineiros. Isso beneficia a todo o Estado: aqueles que serão empregados, aqueles que recebem os benefícios da assistência social, aqueles que estão na educação, na saúde e, é claro, também o empresariado”, afirmou o governador.

Minas bateu a marca de 1 milhão de empregos gerados desde 2003, início do atual governo. Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, apontam um saldo de 1.142.036 empregos com carteira assinada criados entre janeiro de 2003 e maio de 2010. O saldo representa a diferença entre o número de admissões e o de demissões de empregados.

No primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, o PIB de Minas Gerais registrou crescimento de 12,2%, superior aos 9% do PIB nacional. O aquecimento da economia mineira é resultado do esforço do Governo de Minas em garantir condições ideais para novos investimentos privados. Desde 2003, foram anunciados R$ 240 bilhões em investimentos de empresas privadas em Minas, com a criação de 448 mil empregos diretos.

 

Exemplo de gestão pública

O jantar em apoio aos candidatos ao governo pela coligação Somos Minas Gerais, Antonio Anastasia, seu vice na chapa, Alberto Pinto Coelho, e ao Senado, o ex-governador Aécio Neves e o ex-presidente Itamar Franco, contou com a presença de 800 empresários de todos os setores produtivos do Estado.

“É uma manifestação expressiva de qualidade nesse momento em que se intensifica a busca pelo voto. Vimos aqui uma demonstração de que a sociedade mineira, representada em vários segmentos, reconhece o que já foi feito nesses oito anos de Aécio e Anastasia. E quer a continuidade do trabalho e da gestão pública exemplar feita em Minas Gerais”, destacou o deputado Alberto Pinto Coelho.        

Entre os presentes, estava o apresentador Luciano Huck, paulista que declarou seu amor por Minas. “Aprendi a admirar este Estado, principalmente pelas pessoas, pelos seus moradores. Já gravei muito aqui, já olhei muito nos olhos das pessoas nos cantos deste Estado, e cada vez me surpreendo mais. E estou aqui não para subir em palanque, mas porque acredito que o país precisa de gente do bem”, enfatizou.

Muito aplaudidos, os candidatos receberam elogios pelo trabalho nos últimos oito anos, período em que os empresários tiveram as condições econômicas e de infraestrutura favoráveis para imprimir um ritmo acelerado de crescimento na ampliação dos postos de trabalho.

“O Aécio e o Anastasia vieram trazer esperança e um novo cenário em Minas Gerais. Minha empresa cresceu durante essa gestão. Fundamos a empresa no Estado e, atualmente, estamos no Brasil inteiro. Em 2003, éramos 40 funcionários. Hoje, somamos quase mil”, ressaltou Alexandre Gribel, empresário do ramo imobiliário.       

Gilberto Rocha, empresário do ramo de embalagens, contou que só pôde abrir novas unidades em Minas graças aos programas de infraestrutura desenvolvidos pelo Estado.

“Anastasia é competente, carismático e vai dar continuidade ao trabalho iniciado há oito anos. As estradas, por exemplo, estão extremamente melhores, o que facilita o escoamento da produção e as entregas de mercadorias”, descreveu.