Você está em:
IMPRIMIR

Anastasia e presidente da Vale firmam parceria para ampliar educação profissional

16 de março de 2011

O governador Antonio Anastasia e o presidente da Vale, Roger Agnelli, assinaram, nesta quarta-feira (16/03), no Palácio Tiradentes, convênio para a criação de mais 30,9 mil vagas e manutenção do Programa de Educação Profissional (PEP), que prepara jovens mineiros para o mercado de trabalho. A Vale é a primeira empresa privada a se tornar parceira do programa, que passará a atender 203 mil jovens em 128 municípios.

 

“O ensino profissional é muito importante porque qualificaremos nossos estudantes do ensino médio para uma vida profissional. Essa parceria representa incentivo muito grande à nossa educação. Somos orgulhosos do nosso sistema público de ensino. Nossos indicadores são extremamente positivos. Temos hoje uma posição muito honrosa no Ideb, em um Estado extremamente heterogêneo como Minas, com desigualdades imensas, que lutamos para diminuir, mas que demonstra a robustez e a boa estrutura do nosso sistema público de ensino. Esse apoio da Vale servirá para fortalecer ainda mais a musculatura do nosso sistema”, afirmou o governador.

 

O PEP atende, atualmente, 172.872 alunos, em 128 municípios. Com a parceria da Vale, o número de jovens beneficiados saltará para 203.772. A meta do Governo de Minas é chegar a 400 mil estudantes até 2014. Para a criação das novas vagas e manutenção das já existentes, em 2011, serão investidos R$ 143 milhões, sendo R$ 100 milhões da Vale e R$ 43 milhões do Tesouro do Estado. Em quatro anos, o governo mineiro já destinou R$ 440 milhões ao programa.

 

Novas oportunidades

 

Com a parceria, os jovens terão chances concretas de serem recrutados para trabalhar na Vale ao concluírem os cursos de formação. O PEP oferece 83 diferentes cursos em 11 áreas do conhecimento: ambiente, saúde e segurança, apoio educacional, controles e processos industriais, gestão e negócios, hospitalidade e comunicação, infraestrutura, militar, produção alimentícia, produção cultural e design e produção industrial e recursos naturais.

 

Os cursos, totalmente gratuitos, são ministrados em 400 escolas estaduais e em 150 instituições parceiras municipais, privadas ou ligadas ao Sistema S (Senac e Senai), que formam a Rede Mineira de Formação Profissional. A duração dos cursos varia de 14 a 28 meses.

 

O presidente da Vale, Roger Agnelli, afirmou que o maior desafio é garantir mão de obra qualificada. Segundo ele, a parceria em Minas deverá servir de exemplo para outros estados brasileiros.

 

“Não é só a Vale que vai se beneficiar. Todas as empresas que operam no Estado ou no Brasil se beneficiarão. Fica mais fácil para as empresas virem investir aqui, porque tem mão de obra qualificada, preparada, pronta. Estou feliz e gostaria que esse fosse um exemplo para o resto do Brasil. O nosso desafio hoje não é o capital, o dinheiro, comprar máquina, inovar. O desafio tem sido, e vai ser muito maior daqui para frente, em crescer. E, para crescer, tem que ter gente”, afirmou Agnelli.

 

Para participar do PEP, o aluno deve estar matriculado no 2º ou 3º ano do ensino médio da rede pública estadual. O programa também é aberto à participação de jovens que já tenham concluído o ensino médio e ainda a estudantes matriculados no Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA). As inscrições para o PEP 2011 se encerraram em dezembro do ano passado. Um total de 284 mil pessoas se inscreveram para disputar as 30 mil novas vagas oferecidas pelo Governo de Minas em parceria com a Vale.

 

Novas oportunidades

 

Além do PEP, o Governo de Minas oferece aos jovens mineiros diversos cursos de Formação Inicial para o Trabalho (FIT), incluídos na grade curricular de todas 2.093 escolas de ensino médio da rede estadual. São cursos de computação gráfica, ilustração digital, multimídia na educação, construção de websites, sistema operacional e programação, informática básica e manutenção de computadores. São atendidos 349 mil alunos e 21 mil professores do ensino médio foram capacitados para esses cursos, com carga horária que varia de 40 a 80 horas. Os investimentos do Governo de Minas no programa somam R$ 21,6 milhões.

 

Além do convênio referente ao PEP, a Vale mantém hoje em Minas diversas ações de qualificação profissional com o objetivo de promover o desenvolvimento local, a partir do acesso à educação, emprego e renda. A Vale ainda é parceira do Governo de Minas no Circuito Cultural Praça da Liberdade, maior complexo cultural do país, implantado em Belo Horizonte. A empresa investiu R$ 27 milhões no Memorial Minas Gerais, inaugurado em novembro do ano passado.

 

Fonte: Agência Minas