Você está em:
IMPRIMIR

O Brasil vai se tornar mais velho

11 de novembro de 2011

O Brasil está passando por uma rápida e profunda transformação demográfica e, em 20 anos, vai dobrar sua população com mais de 65 anos. Essa transição, que foi feita lentamente nos países europeus, trará um impacto muito grande nas finanças públicas e nos serviços de saúde e educação do país. Na França, por exemplo, esse processo demorou 115 anos para acontecer. Este foi um dos dados apresentados pela economista do grupo de Desenvolvimento Humano e Proteção Social do Banco Mundial, em Washington, Anna Fruttero. Ela foi convidada pelo Instituto Teotônio Vilela (ITV/MG) para apresentar, neste sábado (1º/10) o relatório “Envelhecendo em um Brasil mais velho”, em comemoração ao Dia Mundial do Idoso.

 

A palestra, realizada na sede do PSDB de Minas Gerais,em Belo Horizonte, foi também o evento inaugural do Núcleo do Idoso do PSDB. Este é o mais novo grupo temático criado pelo Partido, que em agosto fundou o PSDB Sindical.

 

O objetivo do Núcleo do Idoso, segundo o deputado Eduardo Barbosa, presidente do ITV/MG, é ajudar a criar e apresentar opções de políticas públicas para este segmento. “Teremos também um trabalho prático porque existe uma carência muito grande de profissionais qualificados na área”. Ele adiantou que a primeira bandeira do Núcleo será procurar parceiros no estado para criar em cada município cursos de cuidadores de idosos.

 

Envelhecimento dos brasileiros

O relatório “Envelhecendo em um Brasil mais velho” foi requisitado e financiado pela Diretoria do Banco Mundial para o Brasil e faz um estudo sobre a dinâmica populacional no Brasil no período de1950 a 2050. Ele aponta que o envelhecimento populacional nunca esteve entre as principais preocupações do Brasil, país considerado em todo o mundo como “sinônimo de juventude”. Mas os números alertam que essa visão precisa mudar.

 

A economista mostrou as principais mudanças ocorridas no Brasil entre 1950 e 2010. No período, a população jovem aumentou mais de duas vezes, mas já está diminuindo e a projeção é de que caia aproximadamente 35 % entre 2010 e 2050. Também entre 1950 e2010, apopulação adulta cresceu mais de quatro vezes, mas começará a diminuir depois de 2025 e, em 2050, será 3,5% mais baixa que em2010. Amudança mais significativa, no entanto, diz respeito à população idosa, que aumentou 7,6 vezes entre 1950 e 2010, e vai aumentar em mais que 220% entre 2010 e 2050. E o mais importante: depois de 2025 esta faixa etária será a única que continuará crescendo.

 

Anna Fruttero afirmou que o Brasil está passando por uma fase favorável e único da sua transição demográfica e que é agora o momento de fazer um planejamento, com o objetivo de preparar o país para esta nova realidade, pois o país vai se tornar mais velho muito rapidamente. “É importante aproveitar esse momento para criar emprego de qualidade e acumular capital físico e humano para garantir crescimento econômico e sustentabilidade fiscal quando a estrutura etária mudar”, alertou.

 

O presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado Marcus Pestana, lembrou que como conseqüência disto, a reforma da Previdência será um assunto prioritário e terá que ser discutido com seriedade pela sociedade e pelos parlamentares.