Tasso Jereissati: nossos prefeitos devem ser sinônimo de eficiência administrativa

30 de abril de 2016

O presidente do Instituto Teotônio Vilela (ITV), Tasso Jereissati, afirmou, durante seminário “Faça um bom mandato: informações e reflexões para a gestão municipal”, promovido pelo ITV e a Executiva Nacional do PSDB, em Brasília, que os prefeitos tucanos têm o dever de ser exemplo de gestão eficiente.

O encontro contou com a participação de 500 dos 702 prefeitos eleitos pelo PSDB no país e, na avaliação de Tasso Jereissati, contribuiu para fornecer elementos para os prefeitos poderem exercer bem os seus mandatos. “O objetivo do evento foi colocar todos os prefeitos em contato para trocar experiências e buscar uma integração maior com as lideranças nacionais. Os nossos prefeitos devem ser exemplos de gestão e eficiência administrativa”, destacou o presidente do ITV.

Tasso Jereissati ressaltou ainda que o encontro demonstrou grande organização do partido. “Reunimos prefeitos de todas as partes do país. O PSDB mostrou que está vivo, fervendo, pulsando”, assinalou.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que 2013 será “o ano do PSDB”. Segundo ele, no ano que vem o partido deverá reforçar seu legado, enfatizar as posturas que defende e deixar claro, para a sociedade, as diferenças que há entre os tucanos e o Partido dos Trabalhadores (PT). E, em uma etapa seguinte, terá condições de exibir à sociedade sua candidatura para o executivo.

Fernando Henrique destacou que as diferenças se baseiam em dois pilares: ética e eficiência. Para FHC, o PT deu uma nova feição à prática da corrupção, ao encarar os desvios como “missão partidária”; “o que nós, do PSDB, enxergamos como crime”, comparou. Em relação à eficiência, Fernando Henrique delineou uma série de práticas equivocadas dos governos de Lula e Dilma Rousseff, como a falha na universalização do saneamento, o enfraquecimento das agências reguladoras e o decréscimo do valor de mercado e da produção da Petrobras. “O excesso de interferência política fez com que a Petrobras vivesse um prejuízo superior a R$ 100 bilhões”, declarou.

O ex-presidente também definiu como característica do PT o “desrespeito ao profissionalismo”. Para ele, as gestões de Lula e Dilma privilegiaram, antes da eficiência, as filiações partidárias e uma visão ideológica não condizente com os desafios atuais da administração pública, reafirmando que o PSDB precisa, ao longo de 2013, “mais escutar do que dizer”, definindo como missão a intenção de ouvir seus filiados e a população, para alinhar-se à sociedade.
Fonte: ITV