Você está em:
IMPRIMIR

Prefeitura de Unaí investe em tecnologia para equipar escolas e modernizar ensino

22 de fevereiro de 2021

A Secretaria de Educação de Unaí (Semed) adquiriu 380 computadores de mesa, 200 notebooks e roteadores de alta performance que serão distribuídos nas escolas do município nos próximos dias. A Semed vai comprar ainda lousas interativas, novos projetores data show e equipamentos para gravar as aulas. As aulas gravadas serão distribuídas de maneira a facilitar a vida (e o aprendizado) dos alunos. O objetivo do investimento, com recursos próprios da Educação, é modernizar as escolas do município e, neste momento de emergência sanitária, facilitar o ensino a distância, por meio de teleaulas.

Os professores, agora, terão acesso a computadores e recursos digitais para facilitar seu trabalho. Quando voltarem à escola, os alunos também terão ferramentas extras para desenvolver o aprendizado. A partir de 1º de março, devem ser retomadas as aulas a distância, mas a Semed está preparada para dar início ao ensino híbrido (metade presencial, metade a distância), que pode ser instituído a qualquer momento, dependendo do avanço, ou não, da pandemia.

A secretaria também vai concentrar esforços para que aulas gravadas cheguem até os alunos, por todas as mídias à disposição (CDs, DVDs, mídias sociais, aplicativos de mensagens, plataformas de vídeos, como YouTube), tudo para facilitar a vida do aluno.

 

AVANÇO DIGITAL

“Isso é resultado de uma conversa que tive com o prefeito Branquinho, que me chamou no gabinete e pediu que eu preparasse uma lista de equipamentos necessários para modernizar as escolas”, conta o secretário municipal de Educação, Geraldo Magela da Cruz. A ideia é criar dentro das unidades escolares um pequeno centro de tecnologia, revelou o secretário. O que já era ideia da Administração Municipal acabou sendo antecipado pela emergência da pandemia.

Os computadores chegarão às escolas formatados e com programas instalados, com conteúdos que serão trabalhados em salas de aula. O conteúdo das disciplinas (língua portuguesa, matemática, ciências e outras) foi “montado” pela própria equipe da Secretaria de Educação, fundamentado na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ministério da Educação. “Agora, o professor pode ajustar o material, ir adaptando, sem problemas”, observa Geraldo.

 

TELEAULAS

A inspiração da Semed para adoção de tal modalidade de teleaulas tem por base experiências que já existem e funcionam, como em estados da região amazônica, o Acre por exemplo, e do sul do país, como Santa Catarina. São modelos que já vinham funcionando mesmo antes do surgimento da pandemia. Na região amazônica, a teleaula é adotada em períodos do ano quando os rios enchem e os alunos não conseguem se deslocar de barco até a escola. Em algumas regiões de Santa Catarina a modalidade é igualmente adotada, principalmente em épocas de frio intenso.

As experiências internacionais também apontam a adoção de teleaulas, mesmo fora da pandemia. Diante de temperaturas bem abaixo de zero, alguns países nórdicos adotam a modalidade. E, no campo oposto, quando a temperatura ultrapassa os 40 graus, algumas regiões adotam igualmente a teleaula. Exemplos para inspiração não faltam. A Semed busca copiar experiências exitosas.

 

CENTRO DE MÍDIA

A Educação Municipal está adquirindo ainda equipamentos para criação de um centro de mídia, onde as aulas serão gravadas para posterior exibição aos alunos. Para essa instalação, segundo Geraldo, a equipe unaiense busca apoio em entidades que trabalham “muito bem” com a modalidade, como a Universidade Federal de Santa Catarina, que já enviou material orientativo para a Semed.

O secretário de Educação lembra que traz, ainda como inspiração, parte da experiência que obteve quando trabalhou no Colégio Objetivo, entidade que ministrava educação a distância desde a década de 1980.