Você está em:
IMPRIMIR

Eduardo Barbosa solicita ao Ministro da Saúde a distribuição de cateter hidrofílico pelo SUS

13 de julho de 2022

O deputado federal Eduardo Barbosa reuniu-se nesta quarta-feira (13) com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para solicitar a dispensação do cateter hidrofílico pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para pacientes com lesão medular e bexiga neurogênica.

O deputado explicou que esse cateter possui um revestimento hidrofílico que mantém a lubrificação uniforme do cateter na inserção e retirada da uretra, reduzindo o risco de trauma uretral, fricção, hematúria, e, consequentemente ajudando a reduzir o risco de infecções do trato urinário, além de ser pronto para uso.

“Acompanho esse assunto desde 2017. A incorporação do insumo pelo SUS foi aprovada em fevereiro de 2019 e o item deveria estar disponível na rede em janeiro de 2020. No entanto, até o momento, nenhuma medida foi efetivamente adotada para começar a distribuição do insumo”, afirmou o deputado.

Também participou da reunião Rafael Hoffmann, atleta paraolímpico brasileiro, campeão sul-americano e medalha de bronze no Rugby em cadeira de rodas, ficou tetraplégico depois de um mergulho em águas rasas, aos 23 anos. Ele conseguiu acesso ao cateter hidrofílico pelo SUS por meio de ordem judicial. “Somente após o uso contínuo do cateter hidrofílico consegui pôr fim às recorrentes infecções urinárias, causadas pelo uso do cateter tradicional. Passei a ser uma pessoa produtiva novamente, tudo isso pela retomada da qualidade de vida”, disse Hoffmann ao Ministro.

O atleta entregou ao Ministro um abaixo assinado com mais de 22 mil assinaturas encabeçado pela ex-ginasta Laís Souza solicitando a distribuição do referido cateter pelo SUS. Laís Souza ficou tetraplégica após colidir em uma árvore durante um treinamento de esqui.

O Ministro Marcelo Queiroga afirmou que levará esse assunto para ser debatido com os membros do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), e se comprometeu que nos próximos 60 dias irá dar uma resposta definitiva sobre o tema.