Você está em:
IMPRIMIR

Carta de Aécio e Kátia Abreu à OMS formaliza intercâmbio para produção de vacina

14 de abril de 2021

Como consequência da recente reunião entre o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom, e os presidentes das Comissões de Relações Exteriores da Câmara, deputado Aécio Neves, e do Senado, senadora Katia Abreu, o Instituto Butantan já encaminhou os nomes dos cientistas da instituição que serão os interlocutores junto ao órgão internacional no esforço por acelerar os trabalhos de produção de vacinas no Brasil.

No último dia primeiro, os dois parlamentares pediram à OMS envio de missões técnicas ao país para apoio ao desenvolvimento da produção autônoma de imunizantes.

Na carta enviada nessa terça-feira (13/04), a disposição do instituto foi comunicada ao diretor geral da OMS em ofício assinado pelo deputado Aécio Neves e pela senadora Katia Abreu, com a indicação do Diretor de Estratégia Institucional da Fundação Butantan, Dr. Raul Machado Neto, e a Especialista de Estratégias Institucionais, Dra. Débora Botéquio Moretti.

O Butantan, através de seu diretor Dimas Covas, demonstrou grande interesse em receber os especialistas da OMS, considerando esse intercâmbio fundamental para que o instituto possa produzir no Brasil vacinas, sem a necessidade de importação do IFA, hoje um dos entraves para  aumento de escala da produção nacional.

Segue abaixo carta à OMS.
OF nº 0042/2021-CRE/SF-CREDN/CD

Brasília, 13 de abril de 2021.

A Sua Excelência o Senhor
TEDROS ADHANOM
Diretor-Geral
Organização Mundial da Saúde – OMS

ASSUNTO: Cooperação internacional no combate à pandemia da Covid-19. Envio de missões técnicas ao Brasil. Missão para apoio ao desenvolvimento da produção autônoma de vacinas. Instituto Butantan.

Senhor Diretor-Geral,

Ao agradecer a Vossa Excelência pela gentileza com que nos atendeu na videoconferência da última quinta-feira, dia 01 de abril, temos a honra de comunicar os desdobramentos ocorridos quanto à oferta de envio ao Brasil de missões de cooperação técnica da Organização Mundial da Saúde – OMS.

2 – No tocante à oferta de missão técnica na área da produção autônoma de vacinas, informamos, com satisfação, que o Instituto Butantan, instituição de renome no campo da saúde pública e principal produtor de imunobiológicos do Brasil, manifestou ao Congresso Nacional, através da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal – CRE, o seu profundo interesse em receber a equipe da OMS.

3 – Segundo o Diretor do Instituto, Dr. Dimas Covas, a vinda de missão técnica da OMS ao Brasil poderá contribuir, de modo decisivo, para o Butantan chegar mais rapidamente à produção local de vacinas contra a Covid-19, sem a necessidade da importação de Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA).

4 – O Instituto Butantan conta com diferentes frentes para o combate à pandemia da Covid-19, tais como o desenvolvimento de vacinas e terapia com anticorpos. Neste sentido, foi firmado contrato com a empresa Sinovac Research & Development Co. Ltd. (Sinovac Biotech Ltd.) para o desenvolvimento clínico da vacina (Coronavac) adsorvida Covid-19 (inativada). Esse contrato prevê o fornecimento de doses até junho de 2021 e a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan, o qual poderá produzir vacinas em escala industrial para fornecimento ao Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil.

5 – Um novo projeto relacionado à avaliação da Coronavac teve início em fevereiro deste ano – o Projeto S, um estudo epidemiológico de fase IV e de implementação escalonada por conglomerados que tem como objetivo vacinar toda a população adulta (30 mil pessoas) de Serrana – SP.

6 – Dada ainda a necessidade urgente de vacinas, o Instituto Butantan também está desenvolvendo uma vacina de vírus quimérico inteiro da doença de Newcastle (inativado), a ButanVac. Esta vacina foi desenvolvida pelo Instituto Butantan com tecnologia gerada da parceria com a Escola Icahn de Medicina no Mount Sinai, dos Estados Unidos, a Organização Farmacêutica Governamental da Tailândia, o Instituto de Vacinas e Biologia Médica do Vietnã e a Universidade do Texas em Austin, dentro de um consórcio liderado pela PATH.

7 – Outra iniciativa que está em andamento é a produção do soro hiperimune equino anti-SARS-CoV-2 como tratamento para a Covid-19. O soro foi desenvolvido em parceria com a Universidade de São Paulo e o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). O Instituto Butantan também coordena uma iniciativa para implementação de uma rede de vigilância e detecção de novas variantes de SARS-CoV-2 no Estado de São Paulo.

8 – O Instituto Butantan manifestou interesse em receber a equipe da OMS o mais breve possível e colocou-se à disposição para dar todo o apoio logístico necessário à realização das missões. Como referência e pontos focais para a iniciativa, a instituição indicou os seguintes especialistas:

Dr. Raul Machado Neto – Diretor de Estratégia Institucional da Fundação Butantan

Dra. Débora Botéquio Moretti – Especialista de Estratégias Institucionais da Fundação Butantan.

Com os protestos de nossa elevada estima e consideração,

KÁTIA ABREU
Presidente
Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional – CRE Senado Federal

AÉCIO NEVES
Presidente
Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional – CREDN Câmara dos Deputados