Você está em:
IMPRIMIR

Branquinho pede às autoridades que ajudem Unaí: “O Hospital Regional é a prioridade para nossa região”

26 de maio de 2021

O prefeito José Gomes Branquinho voltou a falar publicamente sobre a necessidade de o Governo de Minas garantir que a região noroeste tenha um hospital regional, com gestão do Estado. A manifestação do prefeito ocorreu na manhã desta terça (25/5), durante o lançamento de campanha do Governo do Estado, para distribuição de máscaras produzidas em unidades prisionais do Estado e para conscientização da população sobre uso correto de máscaras, distanciamento social, higienização das mãos.

Branquinho aproveitou a presença de representantes da Polícia Militar, da Polícia Penal, do Corpo de Bombeiros, da GRS (órgão da Secretaria de Estado da Saúde) e da Fundação João Pinheiro, para contar (ou relembrar) aos presentes que “O noroeste é a única região de Minas Gerais que não possui um hospital regional (gerido pelo Estado)”.

O hospital público de Unaí, embora municipal funciona como regional, pois atende 12 municípios do noroeste de Minas. “Unaí gasta 35% de toda sua receita com saúde. Isso é muito. Cuidar da nossa população e da população dos municípios vizinhos somente com nosso hospital municipal é pesado. Precisamos de um hospital regional para isso”, avalia Branquinho, ao observar que a dificuldade unaiense já é do conhecimento do governador Romeu Zema.

Ao afirmar que o governo mineiro precisa “voltar os olhos” para o noroeste do Estado, que não pode ser esquecido, Branquinho pediu que cada autoridade presente faça chegar esse pedido ao secretário de Estado ou ao próprio governador como uma necessidade premente da região. “Então, nós vamos buscar isso. Por favor, faça chegar nosso pedido a outras autoridades do Estado, ao secretário de Saúde, ao governador Zema. A população merece isso, e o noroeste precisa de um hospital regional, nós vamos buscar isso”.

 

O TEMPO URGE

Nos últimos dias, segundo o prefeito, o município teve de adquirir mais seis ambulâncias, porque volta e meia precisa encaminhar pacientes para Belo Horizonte, Patos de Minas, Uberaba, Montes Claros e, até, São Sebastião do Paraíso. Este último é a referência cardiológica para a região e fica no sul de Minas, a mais de 700 quilômetros de distância de Unaí. “Isso não pode continuar”, lamenta Branquinho.

Ao mesmo tempo que levanta o problema, o próprio prefeito oferece a solução. Segundo ele, um dos caminhos é a construção do hospital regional em terreno já reservado para esse fim (uma área com 29 mil metros quadrados, no bairro Terra Nova). Outro, mais rápido, é o governo de Minas assumir o hospital municipal e transformá-lo (ainda que provisoriamente) em regional. “Não podemos esperar muito, porque não aguentamos mais. A população de Unaí não merece isso”.

Ao final de seu pronunciamento, o prefeito pediu desculpas aos presentes, mas justificou que não poderia perder a oportunidade de levar o tema ao conhecimento das autoridades presentes ao evento. Na sequência, reiterou a solicitação de apoio que o noroeste precisa para o assunto ganhar reforço em Belo Horizonte e sensibilizar as altas autoridades do governo do Estado, no sentido de agilizar a ação. “O hospital regional é a prioridade das prioridades da nossa região”, sentenciou o prefeito de Unaí