Você está em:
IMPRIMIR

Aécio se reúne com embaixador da China em esforço por insumos e mais vacinas

1 de abril de 2021

“Nosso papel é somar esforços com o governo federal, Congresso, empresários, a sociedade brasileira, para que, o mais rapidamente possível, possamos chegar a um número em torno de 1,5 milhão de pessoas vacinadas diariamente no Brasil”, diz.

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, assegurou ao deputado federal Aécio Neves, presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, que não haverá atraso no envio para o país do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo).

O IFA é a base utilizada na produção das vacinas contra a Covid e tanto a Fiocruz como o Instituto Butantan dependem dele para a produção dos imunizantes no país. A garantia foi dada a Aécio durante audiência virtual realizada com o embaixador nessa quarta-feira (31/03).

“Tratamos de questões extremamente relevantes em relação à oferta por parte da China de vacinas e, principalmente, de insumos ao Brasil. Nos garantiu o embaixador que não haverá qualquer atraso na oferta dos insumos necessários à fabricação, seja pelo Butantan ou pela Fiocruz, de imunizantes produzidos aqui no Brasil. Tratamos também de uma transferência de tecnologia em que o Brasil possa adquirir a capacidade de produzir, em território nacional, esses insumos extremamente importantes”, anunciou Aécio.

A audiência foi realizada a pedido do embaixador após a eleição de Aécio para presidência da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara (CREDN).

“A parceria com a China é estratégica nesse momento para o Brasil, em razão de serem eles o país que mais exporta vacinas dentre todos aqueles que a produzem no mundo”, disse o deputado.

Agenda com OMS, EUA e União Europeia por mais vacinas

Como presidente da Comissão, Aécio anunciou ter encontros previstos também com o embaixador dos Estados Unidos e com representantes da União Europeia e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Nosso papel agora é somar esforços com o governo federal, o Congresso, os empresários, a sociedade brasileira, para que, o mais rapidamente possível, possamos chegar a um número em torno de 1 milhão e meio de pessoas vacinadas diariamente no Brasil. Da mesma forma, como presidente da Comissão, temos encontro marcado com o embaixador dos Estados Unidos na busca por transferência de excedentes de vacinas que já existem nos Estados Unidos e que estão chegando ao México e Canadá. E ainda conversas com representantes da União Europeia para garantir que a produção da Pfizer, feita na Noruega, possa, sem qualquer tipo de entrave, chegar nos prazos estabelecidos ao Brasil”, afirmou Aécio.

Na semana passada, o deputado e a senadora Kátia Abreu, presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, assinaram uma carta conjunta à direção da OMS pedindo esforços para acelerar a vacinação de brasileiros. Aécio ressaltou que o atraso na vacinação contribui para o surgimento de novas variantes do vírus.

“Só a ampliação e a aceleração no processo de vacinação permitirão ao Brasil fazer regredir essa curva crescente de casos de infectados e também de óbitos que nos angustia a todos. Já temos, para a próxima semana, encontro virtual marcado com o diretor-geral da OMS para que possamos demonstrar que atender prioritariamente ao Brasil hoje significa salvar vidas de brasileiros, mas também impedir que novas variantes possam alcançar outras regiões do mundo”, alertou.

Novo chanceler 

O deputado ressaltou as expectativas de mudança no relacionamento do Brasil com o mundo a partir da troca no comando do Ministério das Relações Exteriores, com a posse do novo chanceler Carlos França.

A CREDN aprovou ontem requerimento de Aécio convidando o novo ministro para uma audiência pública na Câmara. Outro requerimento apresentado pelo deputado prevê audiência com o novo ministro da Defesa Nacional, Walter Braga Netto.

“Esse tem sido nosso trabalho. Convidamos para estar conosco na Comissão de Relações Exteriores, através de requerimento de minha autoria, o ministro de Estado de Defesa, general Braga Neto, que recém assume o ministério, e também o embaixador Carlos França, novo chanceler, novo ministro das Relações Exteriores, para tratarmos, dentre tantas questões, fundamentalmente da importação mais ágil, mais célere, em quantidades maiores de vacinas e insumos e também da logística para a ampliação da sua aplicação no território nacional”, concluiu.