Você está em:
IMPRIMIR

Aécio Neves destaca mudança de posição do Brasil em relação à quebra de patentes

9 de junho de 2021

Nesta terça-feira, 8, a Organização Mundial do Comércio (OMC), se reuniu em Genebra para discutir temas ligados à pandemia, oportunidade em que o Brasil, pela primeira vez, indicou estar aberto à negociação de um texto multilateral que contemple a suspensão temporária de patentes, posição defendida pelo presidente da CREDN, deputado Aécio Neves (PSDB-MG) em diversas manifestações.

Segundo ele, “embora tímido, trata-se de um primeiro gesto importante da diplomacia brasileira em direção a uma solução que atenda à prioridade de fomentar a produção no Brasil de vacinas e medicamentos de combate à pandemia, e ao nosso objetivo de fazer avançar, de forma mais rápida e igualitária, o ritmo da vacinação nos países em desenvolvimento”, afirmou.

Aécio Neves já havia tratado do assunto na própria CREDN e em reuniões com o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, e o Embaixador do Brasil na OMC, Alexandre Parola, com quem também conversou nesta terça-feira. Para o deputado, o Brasil precisa aprender com a pandemia para estar melhor preparado para os desafios sanitários futuros.

“Estimulamos mais uma vez em nome da Comissão para que possamos continuar avançando no tema da flexibilização das patentes se não para termos uma solução imediata ou emergencial, para que possamos estar melhor preparados para enfrentarmos eventuais novos desafios sanitários que possam ocorrer no futuro”, explicou o presidente da CREDN.

De acordo com Aécio Neves, “o ajuste, ainda que tímido, é um sinal de que estamos retomando a nossa tradição diplomática de construção de consensos multilaterais. Nesta quarta-feira, 9, terei uma nova reunião com o presidente Arthur Lyra para tratar da mesma questão e estimulá-lo a dar andamento às discussões sobre essa matéria na Câmara”, explicou.

Assessoria de Comunicação e Imprensa – CREDN