Você está em:
IMPRIMIR

Secretarias nacionais reativam o Plano Juventude Viva após quatro anos de paralisação

11 de agosto de 2017

seppir

Após quatro anos de paralisação, o Plano Juventude Viva será relançado nesta sexta-feira (11/08), em cerimônia no auditório da Unesco, em Brasília. A reformulação do programa é resultado de uma ação conjunta entre a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) – comandada por Juvenal Araújo – e a Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) – que tem como coordenador de projetos Vitor Otoni. O Plano tem como objetivo principal reduzir a vulnerabilidade de jovens negros que vivem em situação de violência no país.

Na cerimônia desta sexta, será empossado o Comitê Gestor do Plano Juventude Viva, formado por representantes da sociedade ligados à juventude. O grupo será formado por 18 membros, titulares e suplentes. Entre eles, estarão representantes do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR), do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP), do Conselho Nacional do Ministério público (CNMP) e da Fundação Cultural Palmares (FCP), entre outras entidades. O Comitê vai trabalhar na formulação de políticas públicas e também no monitoramento da execução do plano.

O evento também marcará o lançamento do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e à Desigualdade Racial e a abertura do edital de contratação de consultores que trabalharão no desenvolvimento do plano.

“Vamos realizar um trabalho transversal com os Ministérios que tem na sua pauta não só a questão juvenil, mas também a questão racial. Nós vamos trabalhar a questão de prevenção e enfrentamento à violência contra jovens, em especial os negros, pobres e que moram na periferia”, destacou Juvenal Araújo.

Na avaliação do Secretário Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, a integração das instituições públicas responsáveis pela execução do Plano Juventude Viva – como é o caso da Seppir – e os setores da sociedade civil que lutam pelos direitos dos jovens será fundamental para o sucesso do programa. Ele acredita que, dessa forma, será possível recuperar os quatro anos de inatividade do projeto.

“É importantíssimo que os órgãos municipais e estaduais que lidam com a juventude estejam realmente participantes e ativos nessa retomada do Juventude Viva. Infelizmente, essa ausência do plano fez com que várias políticas e ações iniciadas fossem interrompidas”, ponderou Juvenal.

“Resgatar esses quatro anos realmente é um trabalho de esforço das duas secretarias, tanto a Seppir quanto a Secretaria Nacional de Juventude, junto aos ministérios e aos órgãos da sociedade. Creio que essa união desses realmente fará com que nós recuperemos esses quatro anos perdidos”, acrescentou o secretário.

Fonte: Portal PSDB