Você está em:
IMPRIMIR

Em busca de soluções efetivas, Frente Parlamentar buscará bons exemplos de prevenção à violência

9 de novembro de 2017

A Frente Parlamentar Mista de Prevenção à Violência vai trabalhar mais diretamente nas áreas de Educação, Assistência Social e Saúde, todas fortemente impactadas com a banalização e expansão da violência no Brasil. “Essa frente é para trazer luz a múltiplas questões”, disse a deputada Yeda Crusius (PSDB-RS). A parlamentar comandou nesta quarta-feira (08/11), no auditório Freitas Nobre da Câmara dos Deputados, em Brasília, a primeira audiência pública do colegiado, com o tema “O Enfrentamento da Violência no Legislativo e nas Políticas de Estado”.

Idealizadora da Frente, Yeda afirmou que além de compilar dados e atualizar os números sobre tão grave questão, o principal foco será apresentar soluções. Para isso, serão buscadas experiências exitosas existentes em vários estados e municípios brasileiros. “Seremos articuladores por excelência para trazer soluções em vez de acirrar conflitos”, reiterou.

Dentro da proposta de articular e integrar ações de prevenção à violência já estão formadas 11 vice-presidências envolvendo questões relacionadas à mulher, aos idosos, minorias e meio ambiente, entre outros. Os deputados do PSDB Eduardo Barbosa (MG), Célio Silveira (GO), Mara Gabrilli (SP) e Izalci (DF) responderão por setores específicos. Prefeitos gaúchos também participaram da reunião e demonstraram interesse em criar ou ampliar projetos na sua região.

Yeda Crusius propõe ainda que haja uma articulação para formação de um Fundo orçamentário que será usado para que o programa nacional de prevenção à violência se torne uma política pública sem interrupção.

“A então governadora Yeda Crusius fez uma pequena revolução ao assumir o governo do Rio Grande do Sul”, disse o ministro de Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, exibindo números de redução de ocorrências depois da adoção do Programa de Prevenção à Violência, conduzido na gestão dela (2007-2010). O ministro abordou o aspecto da neurociência na questão da violência e alertou para a ocorrência de casos em qualquer classe social.

Terra citou o exemplo de ocorrências no Rio Grande do Sul, onde 84% dos homicídios ocorrem em 19 municípios. O ministro afirmou que os países exitosos nessa luta alcançaram bons resultados a partir de ações integradas que visam o controle da violência e o rigor da lei.

Os deputados Eros Biondini (Pros-MG), Soraya Santos (PMDB-RJ) e Keiko Ota (PSB-SP) participaram da reunião. Todos trouxeram contribuições com os números de violência e ações preventivas relacionadas à mulher; exemplos de êxito em locais em que houve fomento da Cultura da Paz e exemplos de ações relacionadas à recuperação e reabilitação de dependentes químicos.

A próxima audiência pública está marcada para o dia 04/12, no Rio Grande do Sul. O objetivo é conhecer alguns projetos, a exemplo do “Pelotas pela Paz”, entre outros.

Leia também: Buscando enfrentar a violência por políticas públicas, por Yeda Crusius

Fonte: PSDB na Câmara