Você está em:
IMPRIMIR

PSDB Jovem: para fazer a diferença

1 de agosto de 2012

 

Presidente do PSDB Jovem, Marcello Richa

Mudar é preciso. Com essa premissa, o PSDB investe em seu núcleo jovem na tentativa de reverter o desinteresse cada vez maior pela política. O presidente nacional do PSDB Jovem, Marcello Richa, acredita que a ausência nos debates é prejudicial ao processo democrático. “O maior projeto de qualquer juventude partidária deve ser a construção de cidadãos éticos, responsáveis e preocupados com o bem-estar de toda a sociedade”, diz.

Este ano, a meta do partido é lançar 500 jovens candidatos nas eleições municipais, por meio de um discurso unificado, baseado nas questões debatidas no Congresso Nacional do PSDB Jovem, realizado em 2011, com mais de mil participantes. Entre as bandeiras, o voto distrital, a transformação da corrupção em crime hediondo e sem prescrição, a redução da maioridade penal e a meia-entrada em eventos culturais e esportivos.

“Queremos abrir um canal de comunicação com o público jovem para que possamos dialogar com a sociedade”, observa o secretário nacional do PSDB Jovem, Wesley Goggi. Ele entende que, embora o acesso à informação tenha contribuído para o surgimento de algumas mobilizações espontâneas nos últimos anos, a efetiva participação da juventude ainda é muito baixa.

Transformações – Impulsionada pela família, a vereadora e pré-candidata à prefeitura de Porto Velho (RO), Mariana Carvalho, 25, participa desde os 16 anos de atividades político-partidárias. “Se queremos transformações, precisamos estar incluídos no processo de mudança e compreendermos o poder do voto. Nossa hora é agora”, diz.

Aos 29 anos, Miguel Fernandez lembra que a motivação para o ingresso na política surgiu da necessidade de se resgatar o papel histórico da juventude nas grandes transformações. Fernandez iniciou as atividades no Movimento Estudantil da UFRJ, onde foi presidente do Centro Acadêmico de Engenharia. Atualmente é candidato a vereador no município do Rio de Janeiro (RJ). “O jovem precisa acreditar que é possível fazer política de forma honesta, pois somos os responsáveis pelas verdadeiras mudanças pelo qual o país passou”, constata.

 

Fonte: Agência Tucana