Você está em:
IMPRIMIR

PSDB e aliados defendem diálogo entre lideranças municipais para facilitar alianças nas eleições 2012

6 de março de 2012

Com presença do senador Aécio Neves, dirigentes dos partidos da base do governador Antonio Anastasia definem estratégias

 Presidentes estaduais dos partidos da base aliada do governador Antonio Anastasia reuniram-se, nesta segunda-feira (05/03), com o senador Aécio Neves para discutir as alianças nas eleições municipaisem Minas Gerais. Oencontro, realizado na sede do PSDB,em Belo Horizonte, contou com a presença de presidentes e representantes do PSDB, DEM, PPS, PTB, PSD, PV, PP e PR. Segundo o presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana, os tucanos e aliados criarão um ambiente de diálogo entre as lideranças municipais em todos os municípios, permitindo o entendimento e possíveis alianças.

“O papel dos partidos é criar um ambiente de debate, de conversação. Mas nas cidades, as soluções têm que vir de baixo pra cima. Não é por decreto. Vamos propiciar um ambiente de diálogo principalmente quando o adversário for hostil à perspectiva liderada pelo governador Anastasia e pelo senador Aécio. Vamos procurar estar juntos e azeitar o diálogo entre as lideranças municipais”, afirmou o presidente.

Durante a reunião, o senador Aécio Neves apresentou uma análise sobre a conjuntura política brasileira e mineira e a importância de Minas no cenário nacional. Os dirigentes dos partidos analisaram a situação política das principais cidades e definiram diretrizes para a busca do entendimento entre as lideranças municipais. A disputa eleitoralem Belo Horizonte está fora das conversações do grupo.

Identidade facilita alianças

Segundo Marcus Pestana, os partidos já caminham juntos desde 2002 e têm uma identidade própria, o que facilitará a agregação de forças em torno de um nome de consenso nas cidades. Pestana afirmou, no entanto, que a situação política de cada município será analisada caso a caso, em razão de suas características próprias.

“Os partidos aliados estão caminhando juntos com uma prática e valores comuns, o que cria uma identidade. A ideia é trabalhar perspectivas comuns, principalmente nas maiores cidades. Começamos um trabalho detalhado, cidade por cidade, distribuindo tarefas e procurando a convergência. Cada uma merece abordagem específica porque tem sua história, tem seus atores. É evidente que quando o embate se der entre dois aliados, não vamos nos posicionar, deixaremos o processo correr e a população decidirá o melhor rumo para aquela cidade. Quando o adversário for de outro partido que não faz parte da base, particularmente o PT, vamos tentar conjugar forças”, disse Marcus Pestana.

Esta é a terceira reunião do grupo de partidos aliados ao governador Antonio Anastasia. Coordenado pelo vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP), o grupo vem discutindo as alianças nas eleições municipais desde outubro do ano passado. As outras duas reuniões foram realizadas nas sedes do PR e PP. O próximo encontro está marcado para 9 de abril, na sede do PTB.

Segundo Alberto Pinto Coelho, o esforço do grupo será buscar os candidatos que tenham maior competitividade para disputar as eleições municipais.

“Vamos buscar aqueles que têm mais competitividade e formar alianças com o propósito de termos uma candidatura única, onde for possível. No caso das cidades que têm dois turnos, queremos, pelo menos, comungarmos de um mesmo projeto para que, em um provável segundo turno, possamos obter essa coligação”, explicou Alberto Pinto Coelho.

Também participaram do encontro, os presidentes do PR, Bernardo Santana; do DEM, Carlos Melles; do PV, Ronaldo Vasconcelos; do PTB, Dilzon Melo; o secretário-geral do PSD, deputado federal Alexandre da Silveira; além dos vices-presidentes do PPS, Marcio Kangussu e Raimundo Benoni.