Você está em:
IMPRIMIR

Tucanos se solidarizam com população atingida pelo rompimento de barragem em Brumadinho

28 de janeiro de 2019

Rompimento provocou uma tragédia humana e ambiental em Minas

O presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, prestou nessa sexta-feira (25) solidariedade às famílias atingidas pelo rompimento de uma barragem da mineradora da Vale, em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte.  Um mar de lama destruiu casas da região do Córrego do Feijão.

“O PSDB se solidariza com as famílias atingidas e com o povo mineiro e espera que os danos pessoais e ambientais resultantes da triste tragédia de Brumadinho sejam integralmente reparados”, disse Geraldo Alckmin.

O líder do PSDB na Câmara a partir do dia 1º de fevereiro, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), por meio da sua página no Twitter cobrou uma investigação e punição dos culpados pelo crime ambiental.

“Minha solidariedade aos feridos e às famílias afetadas com o desastre ocorrido hoje em Brumadinho! Mais uma triste tragédia que precisa ser investigada e concluída com a punição exemplar dos responsáveis!”, tuitou Sampaio.

Além da punição aos culpados, o deputado Domingos Sávio afirma que é preciso exigir uma revisão completa da exploração mineral com o uso de barragens de rejeitos. Segundo ele, já existem técnicas que eliminam o uso desse tipo de barragens. “O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho é um terrível desastre ambiental, humanitário e social”, lamentou.

O deputado federal Paulo Abi-Ackel também lamentou a tragédia e relembrou o rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, que deixou 19 mortos e causou uma enxurrada de lama que inundou várias casas no distrito de Bento Rodrigues, em Minas Gerais. “Trata-se de uma repetição do drama vivido em Mariana. Os prejuízos econômicos, sociais e ambientais são enormes, mas nada se compara a dor das famílias vitimadas. Que sejam apuradas as causas e punidos os responsáveis.”, disse Abi-Ackel.

O deputado Rodrigo de Castro também prestou homenagens e cobrou a responsabilização pelo desastre. “Infelizmente terão muitos danos e consequências na vida das pessoas e ao meio ambiente. Que as autoridades responsáveis trabalhem incansavelmente para mitigar os danos e prestar rápida assistência aos atingidos”, disse.

Sensibilizado, o deputado Caio Narcio declarou seu apoio e solidariedade. Ele também enfatizou a necessidade de punição dos envolvidos. “Se Bento Rodrigues foi o primeiro aviso, o caso de hoje [sexta-feira] serve de alerta para uma necessidade urgente de uma fiscalização mais rigorosa sobre todas represas de contenção de rejeitos existentes no Estado, várias delas há anos sob suspeita de falta de segurança para funcionamento. Um tsunami é um desastre natural, um vulcão é um desastre natural, um terremoto é um desastre natural. O ocorreu em Brumadinho é uma triste realidade de quando não se cuida da forma correta da intervenção humana no meio ambiente. Não dá mais para tratar esse tema com parcimônia e sem ações fiscalizadoras mais rigorosas”, declarou.

O deputado Marcus Pestana lembrou de seus esforços para o licenciamento e fiscalização das atividades de mineração. “Quando relator, aumentei os royalties dos minérios. Uma das ideias centrais era fortalecer e melhorar o sistema de licenciamento e fiscalização. Toda a nossa solidariedade às famílias afetadas”, lamentou. Nesta legislatura o parlamentar relatou a medida provisória que trata dos royalties da mineração (MP 789/17).

O senador Antonio Anastasia, disse esperar que “as autoridades competentes possam tomar as medidas necessárias tanto para o imediato atendimento aos atingidos”.

“Minha solidariedade à comunidade de Brumadinho e de toda a região que certamente será fortemente impactada. É muito triste mais uma vez termos que vir lamentar uma tragédia que poderia ser evitada: o rompimento de uma barragem de rejeitos em Brumadinho, com danos intangíveis na vida das pessoas e no meio ambiente”, escreveu Anastasia.

O senador Aécio Neves também usou suas redes sociais para afirmar que a “tristeza e preocupação são os sentimentos que nos tomam, mais uma vez, em Minas Gerais” e disse ter “esperança de que a empresa e o Poder Público ajam com rapidez e eficiência no apoio à população da cidade e no controle dos danos ambientais que certamente atingirão a todos no Estado”.