videos
Você está em:
IMPRIMIR

Sob a gestão de Pimentel, rede estadual perde liderança no principal indicador de qualidade do ensino público

8 de setembro de 2016

educacaoemquedaSLIDE

Extinções de programas implantados durante gestões do PSDB e aliados ajudam a explicar retrocesso apontado pelo MEC

O resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ano-base 2015, divulgado nesta quinta-feira (08/09) pelo Ministério da Educação, revela que a educação pública retrocedeu em Minas Gerais no governo de Pimentel, do PT. Sob a gestão petistas, a rede estadual de ensino “andou para trás” nas três etapas de ensino avaliadas, na comparação com o levantamento de 2013, quando o Estado administrado pelo PSDB.

Nos anos iniciais (1º ao 5º ano) e nos anos finais (6º ao 9º ano) do Ensino Fundamental, o Estado perdeu a liderança que vinha mantendo desde 2009 ante as demais unidades da Federação e agora aparece em segundo lugar. No Ensino Médio, a rede estadual mineira caiu de 3º para o 5º lugar no ranking nacional.

“É com profunda indignação que vimos a público denunciar o retrocesso na Educação Pública de Minas Gerais. O Governo do PT muito mais preocupado em fazer a gestão diária da pobreza do que um real processo de inclusão social que só é possível pela Educação já começou a tirar o protagonismo de Minas Gerais na Educação Pública do Brasil”, afirma o presidente do PSDB-MG, deputado federal Domingos Sávio.

De acordo com dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2015, divulgados nesta quinta-feira (08/09) pelo Ministério da Educação, Minas também não cumpriu a meta nos Anos Finais do Ensino Fundamental nem no Ensino Médio. E, o mais grave, perdeu pontos, interrompendo as conquistas alcançadas com o planejamento e o trabalho realizado pelas gestões anteriores.

“Os avanços proporcionados pelas gestões de Aécio Neves, Antonio Anastasia e Alberto Pinto Coelho na Educação pública do Estado eram conquistas de todos os Mineiros, que estão sendo desmontadas pela ineficiência e pelo aparelhamento político do governo petista”, afirma Domingos Sávio.

Programa de Intervenção Pedagógica revolucionou Educação

A descontinuidade de vários programas desenvolvidos durantes as gestões do PSDB e aliados pelo governo do PT ajudam a explicar o recuo de Minas no IDEB, que é o principal indicador de avaliação da qualidade da educação pública no país.

Desde 2006 até 2014, nos governos de Aécio Neves, Antonio Anastasia e Alberto Pinto Coelho, Minas Gerais estabeleceu uma política sistemática de intervenção pedagógica que elevou os resultados de desempenho dos alunos em todos os níveis de escolaridade.

Em 2006 foi feito o primeiro exame ProAlfa (Programa de Avaliação da Alfabetização) para os alunos do terceiro ano do Ensino Fundamental para verificar os níveis de alfabetização e letramento. Naquele ano, verificou-se que apenas 48% dos alunos tinham desempenho no nível recomendado.

Na época, o governo do Estado implementou o PIP (Programa de Intervenção Pedagógica) que associou uma política sistemática de formação para capacitar os professores para melhorarem as práticas pedagógicas na aula, com foco na aprendizagem do aluno e, de maneira muito concreta, com instrumentos e ferramentas para a consolidação das competências e habilidades que os alunos ainda não haviam conquistado. Isso foi revelado pelas provas externas elaboradas e aplicadas pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Com esse trabalho, em 2013, seis anos da primeira avaliação do ProAlfa, o percentual de alunos com desempenho no nível recomendado chegou a 93%, considerado um patamar de excelência.

Ao longo dos anos dos governos do PSDB e aliados em Minas, os dados do IDEB confirmaram esse avanço. Em 2009, a rede estadual de Minas chegou ao primeiro lugar, entre todos os Estados da Federação, nos anos iniciais. Esta posição de destaque foi confirmada em 2011 e 2013.

Em 2012, o PIP foi expandido para os anos finais. Com isso, Minas alcançou também o primeiro lugar nesse nível nacionalmente, no IDEB de 2013.  Naquele ano, o Governo do Estado também expandiu o PIP para as 852 redes municipais em que havia essa etapa nos anos iniciais.

Reinventando o Ensino Médio era referência

Em 2014, o programa Reinventando o Ensino Médio foi expandido para toda rede estadual, mas a gestão petista descontinuou o programa que tinha como objetivo fazer a ponte entre os mundos da escola e do trabalho. O Reinventando o Ensino Médio era um programa inovador em nível mundial, desenvolvido a partir da aplicabilidade das disciplinas tradicionais, mas voltadas para o dia a dia do jovem e do mercado de trabalho. O programa tinha, além de tudo, um claro compromisso social.

Com a chegada do PT ao poder estadual, em 2015, o PIP foi extinto, assim como o Reinventando o Ensino Médio. O governo petista simplesmente eliminou todas as estratégias pedagógicas que estavam em andamento.

Um dos resultados do desmonte feito pelo PT na política educacional do Estado é que, nos anos iniciais do Ensino Fundamental, Minas perdeu o primeiro lugar para São Paulo. Nos anos finais, Minas não só perdeu o primeiro lugar como caiu na nota. Hoje, Goiás (junto com São Paulo e Santa Catarina) ocupa a primeira colocação com o mesmo patamar que Minas havia alcançado em 2013.  No Ensino Médio, a rede estadual mineira não conseguiu aferir os resultados que, certamente, seriam alcançados com o Reinventando Médio.

Importante destacar que tanto São Paulo quanto Goiás são administrados pelo PSDB.

O fato é que, além de desmontar a política educacional implementada pelas gestões do PSDB e aliados, a gestão petista não promoveu nenhuma intervenção didático-pedagógica que garantisse a melhoria do ensino público estadual em Minas Gerais.

Compare as metas estabelecidas pelo MEC e as notas do IDEB obtidas pela rede estadual de ensino de Minas Gerais em 2013 e em 2015:

IDEB Ensino Fundamental (ANOS INICIAIS)

  2013 2015
META 5,9 6,2
NOTA 6,2 6,3

Nesta etapa, Minas caiu do 1º lugar para o 2º lugar no ranking do IDEB na comparação com os demais estados da federação.

IDEB Ensino Fundamental (ANOS FINAIS)

  2013 2015
META 4,4 4,8
NOTA 4,7 4,5

Nesta etapa, Minas caiu do 1º lugar para o 2º lugar no ranking do IDEB na comparação com os demais estados da federação.

IDEB ENSINO MÉDIO

  2013 2015
META 4,0 4,4
NOTA 3,6 3,5

Nesta etapa, Minas caiu do 3º lugar para o 5º lugar no ranking do IDEB na comparação com os demais estados da federação.

Assista: Anastasia lamenta queda de Minas Gerais no IDEB

Leia também: NOTA DO PSDB-MG SOBRE RESULTADOS DO IDEB 2015