Você está em:
IMPRIMIR

Secretaria de Saúde de Contagem faz mutirão para acabar com fila para consulta e tratamento do glaucoma

14 de Março de 2017

Glaucoma

Os 1.110 pacientes foram divididos em três grupos para atendimento em março, abril e maio

PSDBnacidade2

Mesmo usando óculos, Vera Lúcia Marques, de 68 anos, diz que tem a visão embaçada e que os olhos lacrimejam muito. Em 2014, ela fez um exame no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz, em Contagem, quando recebeu o diagnóstico de suspeita de glaucoma.

A espera de Vera Lúcia acabou. Mais de 1.100 pessoas que estavam aguardando na fila para agendamento de consulta e tratamento de glaucoma serão atendidas até o fim de maio. Vera, que fez a primeira consulta na semana passada, comentou a boa impressão que tem em relação à nova administração da saúde em Contagem. “Em janeiro, marquei exame de mamografia e o preventivo ginecológico e já consegui ser atendida nos dois. Estou sentindo que nesta gestão parece que a coisa está melhorando”, afirma.

Quando assumiu a Prefeitura de Contagem no dia 1º de janeiro, o prefeito Alex de Freitas (PSDB) encontrou 1.110 pacientes na fila para consulta e tratamento do glaucoma. Após renegociações de contratos com as clínicas credenciadas que prestam esse serviço, a Secretaria Municipal de Saúde fez uma programação para atendimento dessas pessoas.

Os pacientes foram divididos em três grupos para atendimento em março, abril e maio, com agendamentos para 570, 240 e 300 pessoas, respectivamente. A Secretaria de Saúde estima que surja uma média de 30 novos casos nesses três meses, chegando a 1.200. Toda a demanda será absorvida.

Ronaldo Cândido dos Santos, de 45 anos, está entre as que estão sendo atendidas em março, como Vera Lúcia. Ele também compareceu à primeira consulta na semana passada. “Esperava há um ano”, diz.

Após passar por consulta e receber o diagnóstico, a pessoa é mantida em tratamento permanente, que inclui acompanhamento médico, exames e, se necessário, a prescrição do uso do colírio fornecido pela Secretaria Municipal de Saúde.

Tratamento

Uma vez diagnosticado o glaucoma, é preciso seguir com o tratamento por toda a vida. Há, em Contagem, 4.133 pessoas nesta situação. A doença afeta os olhos e o principal fator de risco é o aumento da pressão ocular. Se não tratada, pode levar à cegueira irreversível.

Por ser uma doença geralmente silenciosa, ou seja, sem sintomas, algumas pessoas só descobrem o problema quando já perderam parte da visão. Por isso, o diagnóstico precoce é muito importante.

“Se feita na rede privada, a primeira consulta de diagnóstico e os diversos exames que são necessários, como o que mede a pressão dos olhos, podem custar entre R$ 800 e R$ 1.000. Só um dos colírios custa R$ 150 e há pacientes que precisam usar até quatro colírios por mês”, explica o diretor de uma das clínicas credenciadas, o oftalmologista José Augusto Pádua Sales.