Você está em:
IMPRIMIR

Reportagem da TV Globo mostra que governo Pimentel está destruindo o maior pronto-socorro de Minas Gerais

4 de maio de 2017

SOSJXIII (1)

Sob as gestões do PSDB, unidade tornou-se referência nacional em atendimento de emergência

Reportagem que foi ao ar nesta quinta-feira (04/05) no programa “Bom dia Brasil”, da TV Globo, em rede nacional, dá uma mostra do descalabro a que o setor de saúde pública de Minas Gerais foi submetido na gestão do petista Fernando Pimentel.

De acordo com a matéria, o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais listou nada menos do que 26 hospitais públicos e filantrópicos que estão em situação de penúria no Estado, com infraestrutura precária, falta de medicamentos, quadro de pessoal insuficiente e atrasos nos salários de médicos.

A situação mais grave é a do Hospital João XXIII, o maior pronto-socorro de Minas, localizado em Belo Horizonte. A reportagem mostrou cenas de teto desabado numa sala onde ficam materiais esterilizados, de pacientes atingidos por vazamentos vindos de um banheiro e até de uma barata numa refeição servida no hospital.

Ainda de acordo com a matéria, como em alguns plantões a escala de técnicos de enfermagem foi reduzida à metade, alguns pacientes que estão em melhores condições são obrigados a executar tarefas de enfermeiros para os pacientes mais graves.

Hospitais filantrópicos também sofrem

A matéria do “Bom Dia Brasil” informa que o governo estadual do PT também está atrasando os repasses de recursos financeiros devidos a vários hospitais filantrópicos, que respondem por cerca de 70% das internações do SUS. Em função disso, a Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, por exemplo, teve que reduzir drasticamente o atendimento de pacientes, sobretudo por falta de medicamentos essenciais.

Entrevistada pela reportagem, a Subsecretária de Estado da Saúde de Minas Gerais, Maria Aparecida Turci, “deu de ombros” para a denúncia e admitiu a incompetência da gestão petista para reverter o crítico quadro da saúde pública no Estado: “Nós estamos vivendo hoje apenas a ponta do iceberg. A situação pode piorar muito”, declarou.

Gestão tucanas investiram R$ 50 milhões no João XXIII

leitosEm 2010, sob a gestão de Aécio Neves e AntonioAnastasia, do PSDB, o Governo de Minas fez a maior reforma no Hospital Pronto-Socorro João XXIII, desde que a unidade foi inaugurada em 1973 na capital mineira, com investimentos da ordem de R$ 50 milhões.  Uma das melhorias foi a implantação de uma nova sala de reanimação, com toda a tecnologia necessária para pacientes de alto risco. Interligado à sala de politraumatizados e a poucos metros de um tomógrafo computadorizado de última geração, o espaço foi equipado com aparelhos de raio-x e ultrassom móveis, dois monitores multiparâmetros e respiradores.As intervenções incluíram a construção de um heliponto, que permitiu oferecer mais conforto, agilidade e segurança na assistência a pacientes vítimas de traumas graves e com risco iminente de morte.

Em dezembro de 2007, o Estado já tinha sido concluído a revitalização da Unidade de Tratamento de Queimados Prof. Ivo Pitanguy, com 24 leitos. A unidade – que tornou-se uma referência nacional em grandes queimados, intoxicações graves e politraumatizados – foi adequada às exigências da Vigilância Sanitária, permitindo a redução das infecções, além de aumentar a rotatividade dos leitos, e, consequentemente, a diminuição do tempo de internação.

Em 2012, o Hospital João XXIII, que integra a Rede Fhemig, foi considerado o melhor dentre 11 prontos-socorros de diferentes estados brasileiros, em pesquisa de satisfação do usuário feita pelo programa SOS Emergências.

Em 2014, pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde apontou o hospital como o melhor do país dentre todas as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. A intenção da pesquisa foi avaliar a satisfação dos usuários com os serviços de saúde oferecidos por 11 hospitais de diferentes estados brasileiros. Entre os prontos-socorros públicos avaliados, o João XXIII foi o que obteve a melhor média: dos 17 critérios pesquisados, obteve a maior nota em 11.

Clique na imagem abaixo para assistir à íntegra da reportagem do “Bom dia, Brasil”, da TV Globo:

PRINT DO VÍDEO