videos
Você está em:
IMPRIMIR

PSDB vai defender Constituição e agirá com responsabilidade perante o país, diz Tasso Jereissati

25 de Maio de 2017

reuniao

Após reunião com a bancada do PSDB na Câmara, na tarde desta quarta-feira (24/5), o presidente interino do partido, senador Tasso Jereissati (CE), destacou a grande responsabilidade dos tucanos com o Brasil, a unidade de ação da legenda e o respeito irrestrito à Constituição Federal. Nesse sentido, o parlamentar disse que o partido não tomará nenhuma decisão de maneira açodada em relação ao governo, permanecendo na base, e que manterá a postura de defesa da continuidade dos trabalhos no Congresso Nacional.

Ao lado de Tasso, o líder tucano na Casa, Ricardo Tripoli (SP), ressaltou que todos acompanharão o que o PSDB decidir. Com presença maciça dos parlamentares, o encontro contou com a participação do ministro das Cidades, Bruno Araújo, e do presidente do ITV, José Aníbal, e do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).

Diálogo aberto

Tasso destacou que a bancada tucana e o partido como um todo tem como grande preocupação o Brasil e mantém o diálogo com o governo. “Precisamos nos atentar para a crise que o país passa e não tomar nenhuma atitude que possa agravá-la. Qualquer movimento nosso deve ser no sentido de diminuir e resolver a crise para que o país tenha uma vida normal. Sem desconhecer os gravíssimos acontecimentos que estão na vida pública – no Executivo, denúncias, gravações, etc – temos que levar aqui na Câmara uma vida normal para que o Brasil não fique à deriva. Este é um consenso”, garantiu.

Além disso, o presidente afirmou que é preciso obedecer a Constituição. Apesar de não ter tratado com a bancada sobre suposta possibilidade de sucessão presidencial, Tasso reforçou a necessidade de obediência à Carta Magna brasileira ao ser questionado sobre a tese propagada pela oposição de eleições diretas.

“Vamos nos apegar de todas as maneiras à Constituição. Ela é a confirmação da democracia no nosso país e não vamos sair dela sequer um milímetro. Vamos conversar cada vez mais, acompanhar os desdobramentos dessa crise e, em cima disso, com muita responsabilidade e cautela não vamos fazer nada de maneira açodada ou no impulso”, apontou.

Em caso de vacância da Presidência da República na segunda metade do mandato, a Constituição prevê que o presidente da Câmara assuma e convoque eleição indireta, na qual o Parlamento escolhe um novo chefe para o Executivo até a realização de eleições gerais, no período devido. “A Constituição precisa ser obedecida. É preciso calma e tranquilidade, nada que possa afetar ainda mais as instituições e agravar a crise para que em 2018 a população possa fazer sua decisão”.

A reunião, de acordo com Tasso, demonstrou a unidade da bancada da Câmara em relação a esses posicionamentos. Para ele, qualquer movimento a ser tomado pelo partido ocorrerá de maneira unânime. O presidente garantiu ainda que os tucanos que ocupam cargos de ministros continuarão sendo ouvidos sobre o posicionamento em relação ao governo.

Assista a trecho da entrevista:

Fonte: PSDB na Câmara

Leia também: Tucanos recebem com surpresa convocação do Exército para conter depredações na Esplanada