Você está em:
IMPRIMIR

“PSDB vai aguardar desdobramentos da crise”, diz Tasso Jereissati

19 de Maio de 2017

Tasso

Em entrevista nesta sexta-feira (19/5) ao programa Rádio do Moreno, na CBN, o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse que o atual momento político do país exige “cautela”.

Tasso disse que o partido não tomará nenhuma medida precipitada em relação à sua presença no governo Michel Temer, aguardando os próximos passos da delação premiada dos empresários da JBS para definir qual será sua posição definitiva.

“Não há apoio incondicional. (…) Na conversa com o presidente Temer, nós deixamos bastante claro que achávamos que o momento era muito grave para o país. (…) E nós não queríamos tomar nenhuma medida precipitada – nem tomaríamos, que ele ficasse tranquilo quanto a isso – mas aguardaríamos os próximos desdobramentos da delação e que nós, com certeza, não tomaríamos nenhuma medida precipitada e no momento em que nós pensássemos alguma coisa de diferente, nós conversaríamos com o presidente de uma forma bastante clara”, afirmou.

Tasso defendeu respeito absoluto à Constituição Federal no atual momento do país, seja qual for o desdobramento da crise. “A única certeza que eu tenho é que nós temos uma devoção: chama-se Constituição. Nada pode ser feito fora da Constituição. Qualquer saída que venha a ter tem que ser obedecendo rigorosamente a Constituição. Aí, as instituições estão preservadas e, com certeza, a crise sai de uma maneira melhor para todos nós.”

Sobre as denúncias envolvendo o senador Aécio Neves, presidente licenciado do PSDB, Tasso disse que o tucano pediu o afastamento do comando da sigla para se defender e para provar sua inocência.

“Ele quer se dedicar, me disse que vai se dedicar inteiramente a provar a sua inocência e que existem grandes contradições nesses ataques que estão sendo feitos a ele. É muito grave, reconheço, mas tenho a confiança de que ele, durante esse período, vai poder se defender e mostrar a sua versão”, afirmou o senador.