Você está em:
IMPRIMIR

Prefeitura de Valadares garante economia de R$ 1 milhão com implantação de sistema

14 de novembro de 2017

A administração do prefeito André Merlo (PSDB), de Governador Valadares, implantou uma ferramenta importante para aumentar a eficiência da gestão municipal. Trata-se do Business Intelligence, que é um novo sistema que tem como base de operacionalização o orçamento municipal, a gestão tributária e os processos gerenciais. Elaborado e desenvolvido pela Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan), o BI assegura praticidade, agilidade e rapidez nas informações, aos gestores.

A Secretária Municipal de Planejamento, Zenólia Maria de Almeida, explica que o “Business Intelligence tem potencial para auxiliar os gestores na maximização de resultados ou na mudança de uma realidade negativa, para outra, positiva. Essa ferramenta de software permite rapidez na análise de indicadores de desempenho dos dados corporativos para orientar a tomada de decisões”.

Operacionalização

Para perfeita operacionalização do novo sistema, os dados são atualizados diariamente. Despesas e receitas estão disponíveis aos gestores de cada secretaria municipal, auxiliando com detalhamento e especificidade de informações, nas programações e execuções orçamentárias. Com a aplicação de filtros, é possível checar, por exemplo, as principais receitas da cidade (como, IPTU, INSS, IPVA, ITBI, lixo e iluminação pública), fundos de participação do Município (como FUNDEB, SUS, SUAS) e despesas a liquidar.

Responsável pela criação e implantação do sistema, James Allen Gomes de Carvalho, consultor de análise de negócios do Departamento de Orçamento e Informática da Seplan, acrescentou que, além da visualização de dados do orçamento do Município, o sistema traz soluções analíticas ao proporcionar condições para o planejamento de ações. “Com o sistema, o gestor consegue prever, por exemplo, os períodos de maior ou menor entrada na arrecadação e, assim, antecipar-se com medidas assertivas”.

Economia

O desafio de desenvolver uma nova forma de gerenciar, usando tecnologia própria e sem custos operacionais (free), assegura ao município, com o BI, uma economia de, no mínimo, R$ 1 milhão – valor que corresponderia à despesa de contratação de uma versão paga. A economia também se aplica às despesas de manutenção – em torno de R$ 200 mil/ano.