Você está em:
IMPRIMIR

Pesquisa mostra que desigualdade não caiu no Brasil e desmonta propaganda petista

12 de setembro de 2017

pobreza

Apesar do discurso adotado pelo PT durante toda sua história, a desigualdade de renda no Brasil não foi reduzida entre 2001 e 2015 e continua em níveis “chocantes”. Estudo realizado pelo World Wealth and Income Database, instituto de pesquisa codirigido pelo economista francês Thomas Piketty, mostra que a fatia na renda nacional dos 10% mais ricos da população passou de 54% para 55% nos anos analisados. As informações são do jornal Folha de S. Paulo de sábado (09/9).

De acordo com o levantamento, apesar do que afirmaram insistentemente as gestões dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os 50% mais pobres também aumentaram sua participação, passando de 11% para 12%. Já os 40% dos brasileiros entre esses dois extremos viram sua parcela cair de 34% para 32%.

O deputado federal Rodrigo de Castro (PSDB-MG) afirmou que os novos dados mostram que a retórica populista do PT vai na direção oposta das ações dos seus governos. Na avaliação dele, apesar do discurso de defesa dos mais pobres, os governos petistas foram ruinosos para a população e beneficiaram os mais ricos.

“Essas falácias do PT seguem a máxima do seu líder, sempre repetindo uma mentira tantas vezes até ela virar verdade. Essa sempre foi a conduta de Lula, mas o resultado prático que nós assistimos foi o maior desperdício de recursos públicos da história da humanidade. O Brasil gastou uma montanha de dinheiro com subsídios, com a construção de uma política completamente equivocada, que privilegiava grandes grupos econômicos – e a JBS está aí para provar isso”, afirmou.

O estudo aponta ainda que os frutos do crescimento econômico registrado no Brasil durante o período foram absorvidos, principalmente, pelos 10% mais ricos, que ficaram com 61% da expansão obtida entre 2001 e 2015. Já os 50% mais pobres ficaram com somente 18% desses ganhos.
Segundo o deputado, o PT implantou medidas paliativas, com pouca efetividade, que acabaram culminando na crise que o país vive hoje, com mais de 14 milhões de desempregados.

“O PT não conseguiu dar rumo econômico ao país e o resultado hoje está provado com essa concentração de riquezas. Aquilo que eles sempre pregaram ocorreu de forma contrária. Quem privilegiou o grande capital foi o PT. Esse estudo é mais uma demonstração disso. Além de ter aumentado a concentração, o PT ainda levou o país a uma situação de completa ruína econômica. Não fez e ainda contribuiu para a desgraça que a gente vive em termos econômicos”, completou.

De acordo com a reportagem, o estudo vai na contramão de indicadores como o índice de Gini, que indicou que houve uma melhora do cenário no Brasil, atribuída às políticas de redistribuição de renda dos governos do PT, como o Bolsa Família, e à política de valorização do salário mínimo.
Com base nesses indicadores, os governos Lula e Dilma defenderam que houve redução na desigualdade durante suas gestões – o que o estudo atual questiona.

Assista

Fonte: Portal PSDB

Leia também (para assinantes do jornal”Folha de S.Paulo”): Período Lula/Dilma enriqueceu ainda mais os mais ricos