Você está em:
IMPRIMIR

Pagamento de salário de servidores estaduais está cada vez mais longe do 5º dia útil

3 de outubro de 2016

jeitoptdedesgovernar

Com novo escalonamento, governo Pimentel gera incertezas quanto ao acerto do 13º e não prevê datas para o salário de dezembro, pago em janeiro 

Um ano inteiro com salários atrasados e parcelados. Assim tem sido a realidade dos servidores públicos do Estado desde janeiro deste ano, e continuará a ser pelo menos até dezembro, conforme anunciado pelo governo de Fernando Pimentel nesta segunda-feira (03/10). A nova escala de pagamento empurra para o dia 14 de novembro o crédito da primeira parcela dos salários, ou a parcela integral de quem recebe até R$ 3 mil. O restante das parcelas serão pagas nos dias 18 e 23. Em dezembro as datas do escalonamento serão 12, 19 e 21. O novo cronograma gera ainda mais incertezas ao servidor pois não prevê o pagamento do 13º, tampouco estima datas para os salários a serem pagos em janeiro referentes a dezembro.

Em menos dois anos de governo do PT em Minas, ficou claro que Pimentel optou por sacrificar o funcionalismo público, deixando para os servidores o ônus da sua falta de gestão. Isso porque o governo insiste em manter o atraso no salário dos servidores mesmo tendo registrado uma arrecadação positiva. De janeiro a junho deste ano, as receitas somam R$ 38,7 bilhões e a previsão atualizada de arrecadação até o final do ano é de R$ 83,7 bilhões, o que significará um incremento de 9,93% na comparação com o ano anterior, índice superior à inflação prevista.

Além disso, o governo vem economizando cerca de R$ 300 milhões mensais com o não pagamento da dívida pública de Minas, após o benefício da renegociação concedido pelo governo federal.

Para o bloco de oposição na Assembleia Legislativa, desde que assumiu o governo, o PT vem adotando em Minas políticas que penalizam os trabalhadores. “É lamentável a situação que o governo Pimentel impôs aos servidores. Além de serem obrigados a conviver, por pelo menos um ano, com atrasos em seus salários, eles não podem sequer fazer planos com seu 13º. A cada nova escala que o governo solta, mais complicada fica a vida do trabalhador da administração estadual”, afirmou o deputado Gustavo Valadares (PSDB). “O servidor sequer pode planejar como vai quitar o IPTU, o IPVA, a matrícula de seus filhos ou fazer a compra de material escolar, tradicionais gastos que pesam no bolso do cidadão em janeiro”, completa.

Para o líder da Minoria na Assembleia Legislativa, é inaceitável que o governo Pimentel jogue por terra as garantias dadas aos servidores ao longo dos 12 anos das gestões anteriores ao PT. “O pagamento integral dos salários sempre foi feito religiosamente todo quinto dia útil do mês. Era um compromisso com os servidores que, até então, podiam programar suas compras e dormir tranquilo, sabendo que o dinheiro estaria lá, depositado em dia”.

Fonte: Verdade e Coerência