Você está em:
IMPRIMIR

“O Brasil vem errando há mais de meio século”, diz Domingos Sávio sobre ferrovias

10 de julho de 2018

Em maio, o Brasil experimentou o caos com a greve de mais de uma semana dos caminhoneiros. O bloqueio das estradas como protesto pelos reajustes no preço dos combustíveis parou o país e abalou a economia nacional. A crise mostrou o quanto o Brasil é dependente do setor rodoviário. O deputado federal Domingos Sávio critica o sistema modal de transporte do país. Para o parlamentar tucano, faltam investimentos no setor ferroviário, um transporte mais barato, seguro e sustentável.

“O Brasil vem errando há mais de meio século. O Brasil tem diminuído a malha ferroviária Federal. A malha ferroviária foi construída no século passado e há 30 anos essa malha vem diminuindo. E não há investimentos novos significativos. A não ser a Norte- Sul que está inacabada, mas não há investimento nem na preservação da malha existente. Embora concessão tenha melhorado em alguns aspectos, a concessão foi feita ainda no período do presidente Fernando Henrique, deixou muito a desejar no que diz respeito a novos investimentos.”, destacou Domingos Sávio.

O resultado das concessões concedidas hoje, avaliou o parlamentar, foi a desativação de inúmeros ramais pelo Brasil afora, que cumpriam importantes funções sociais, e acabaram deixando grandes contingentes populacionais desassistidos pelos trilhos que realizaram grande parte da transformação urbana no interior do nosso País.

Na semana passada, o conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou a inclusão de mais cinco projetos no plano de concessões do governo. Entre eles, a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) e a Ferroanel de São Paulo. Domingos Sávio defende que as concessões sejam permitidas, apenas, se as contrapartidas, como a garantia de investimentos, estiverem bem claras.

“Nós só podemos permitir a renovação das concessões garantindo investimentos, melhorar a oferta de transporte de carga e passageiros. E também para solucionar grandes gargalos, grandes conflitos fazendo a transposição da malha ferroviária para anéis ferroviário, como há a necessidade de se fazer em Belo Horizonte, em várias cidades do interior de Minas, como Divinópolis e Juiz de Fora. Para isso, nós estamos  solicitando várias audiências públicas com a ANTT que se realizaram aqui em Minas Gerais. Mas, isso deve ocorrer também em outros estados da federação.”

Domingos Sávio afirma que a maior parte da capilaridade da malha ferroviária brasileira está distribuída ao longo da borda continental do Brasil ou próxima a ela, devido ao necessário acesso aos portos marítimos. O deputado tucano acredita que essa proximidade pode ajudar a diminuir os custos com o frete, mas ainda defende a ampliação da malha ferroviária em todo o território brasileiro, em especial, em regiões de maior escoamento de produtos.

Fonte: Portal do PSDB