Você está em:
IMPRIMIR

No último debate antes das eleições, Anastasia apresenta as melhores propostas para Minas

3 de outubro de 2018

O candidato ao governo do Estado pela Coligação Reconstruir Minas, Antonio Anastasia, participou nesta terça-feira (02/10), do último debate entre os concorrentes ao cargo antes das votações no dia 7 de outubro. Durante o debate realizado pela Globo Minas, em Belo Horizonte, ele apresentou suas propostas de austeridade para recuperar o Estado, atrair investimentos e gerar emprego e renda para os mineiros, além de desmascarar as mentiras apresentadas pelo governador petista para tentar iludir os mineiros e mineiras.

Anastasia enfatizou que para Minas voltar aos trilhos do desenvolvimento, é preciso mudar o perfil econômico do Estado, criando um ambiente amigável de atração de empresas, para que elas se instalem aqui, possibilitando geração de mais empregos e riquezas. “Essa é a única saída para nossa crise, diversificação de nossa economia, agregando o chamado valor para nossos produtos. Não podemos ficar a vida inteira exportando café in natura e minério de ferro. Temos tecnologia, temos inovação, temos energia. Para isso, o governo tem que atuar, tem que estar na frente, fomentando, o que não se vê, lamentavelmente, nos dias de hoje”, afirmou.

A atual recessão, segundo Anastasia, foi agravada pela desastrosa gestão petista. “O governo federal do PT nos deixou a pior recessão da história do Brasil. A ex-presidente Dilma nos deixou com 13 milhões de desempregados, mais de um milhão em Minas Gerais. E ainda agora quer ser senadora por Minas. E essa crise é grave, as famílias estão preocupadas, os seus filhos quando se formam não têm empregos. E não é o poder público que gera empregos é o setor privado. Nós temos que estimular as empresas a virem para Minas, com incentivos específicos, regimes especiais negociados para dar a elas oportunidades de criar empregos de qualidade no Estado na área de inovação, do empreendedorismo, de novas alternativas de energia. Temos muito a fazer”.

O candidato pela Coligação Reconstruir Minas rebateu ainda o governador petista que afirmou não haver perda de empresas e de empregos no Estado. “Pergunto a você que está em casa, ao jovem que procura emprego, vocês estão vendo tanto emprego assim? Eu não. Ao contrário, em minhas andanças por Minas Gerais, as pessoas demandam e os empresários queixam que as empresas estão saindo de Minas porque o Estado tem um ambiente hostil, um ambiente tributário complexo e não há regime especial para novas empresas ficarem em Minas Gerais”, destacou.

Funcionamento do Estado

Ao falar sobre austeridade, Anastasia apresentou sua experiência frente ao governo de Minas e mostrou que sabe o que tem que ser feito para que a máquina pública gaste menos consigo mesma e mais com o cidadão. “Em 2013, quando a crise se agravou, nós fizemos uma drástica redução, foram extintas seis secretarias e vários cargos comissionados. O que temos de ter é uma equipe profissional e preparada. Agora, na crise que temos no Estado de Minas Gerais causada pelo PT que, lamentavelmente, faz o pior governo da história de Minas, nós vamos precisar fazer uma redução ainda maior. Não só para fazer economia, mas para dar exemplo para os servidores e a sociedade. E essa economia ajudará, não resolverá por ela só, mas ajudará na crise que vivemos”.

Antonio Anastasia apontou ainda que irá governar, caso eleito, com os melhores quadros do Estado. “A escola de governo da Fundação João Pinheiro é onde são formados os melhores e mais preparados jovens para a gestão pública e são de altíssima qualificação. Eu governarei, se eleito, com servidores de carreira que já mostraram seu valor e que vão compor comigo uma equipe enxuta, técnica e muito profissional para superar os quatro anos de pesadelo do governo do PT que, felizmente, está acabando no próximo dia 31 de dezembro”, atestou o candidato.

Políticas para igualdade

Anastasia apresentou também sua preocupação em possibilitar um ambiente mais igualitário para as mulheres mineiras. Ele destacou que durante sua gestão instalou delegacias de proteção à mulher em todo o Estado e apontou que irá trabalhar para garantir igualdade salarial.

“Quando fui governador, consegui levar a todas as delegacias regionais a Delegacia de Proteção à Mulher. O mais importante nesse momento é pensar no emprego das mulheres. Passa pela educação, passa pela qualificação e pela oportunidade. Devemos pensar sempre que a mulher deve ter a mesma oportunidade para ter emprego e a garantia absoluta de igualdade salarial, isso tem que ser sempre um dogma. Aliás, vamos fazer protocolos para trazer empresas com essa condição de salários iguais entre homens e mulheres”, garantiu.

A difícil situação do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) foi lembrada pelo candidato da Coligação Reconstruir Minas. Segundo Anastasia, por todo interior do Estado, servidores estão clamando por atendimento e estão constantemente frustrados pela ausência do serviço.

“O Ipsemg cancelou, no atual governo, convênios com hospitais e com laboratórios. O servidor público que está no interior não tem mais acesso à rede hospitalar ou para fazer exames. E por quê? Porque o Ipsemg ficou devedor. Vamos precisar colocar isso em ordem e está acontecendo o mesmo com o IPSM, dos servidores militares, que também estão sem convênios pelo interior. Isso é gravíssimo. Além de receber os salários atrasados, estão sem assistência médica nas cidades do interior de Minas. É muito triste”.

Anastasia finalizou sua participação pedindo que os mineiros avaliem as propostas e a experiência de cada um dos candidatos e afirmou que irá trabalhar nesta reta final para conquistar ainda mais o apoio daqueles que estão cansados do desgoverno do PT em Minas. “Vamos para a reta final, com muito ânimo e uma extrema energia para as eleições de domingo. Muitos decidem seu voto na reta final e por isso é importante o debate, a apresentação das propostas e, sobretudo, o conhecimento de quem são os candidatos, o que eles defendem e o que já fizeram no passado que comprova a sua experiência. Por isso, peço a vocês seu apoio e seu voto no 45, no dia 7 de outubro. Vamos juntos reconstruir nosso querido Estado”, finalizou Antonio Anastasia.