Você está em:
IMPRIMIR

Mais uma vez o município de Extrema, no Sul de Minas, se destaca em governança municipal no Brasil

29 de agosto de 2017

Extrema

selogestaotucana

Mais um estudo comprova a administração municipal de Extrema como sendo de excelência. Desta vez, foi a edição 2017 do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que fez uma análise sobre a situação das contas públicas municipais do ano de 2016 e destacou o município do Sul de Minas como primeiro colocado de Minas Gerais.

O Sistema FIRJAN desenvolveu o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) com o objetivo é contribuir com uma gestão pública eficiente e democrática. O IFGF “é uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos”, explica texto no site oficial da entidade. (Clique AQUI e confira)

Construído exclusivamente com base em estatísticas oficiais declaradas pelos próprios municípios, o IFGF é composto por cinco indicadores: Receita Própria, Gastos com Pessoal, Investimentos, Liquidez e Custo da Dívida.

Entre os dez primeiros colocados do ranking mineiro, sete figuram no Top 100 nacional do IFGF. Líder estadual, Extrema conquistou grau de excelência em quatro dos cinco indicadores investigados, com destaque para as notas máximas no IFGF Investimentos, já observada em 2015, e no IFGF Liquidez.

Esta edição do IFGF analisou as contas de 740 dos 853 municípios do estado de Minas Gerais, onde vivem 19,0 milhões de pessoas – 90,4% da população estadual.

A maior parte das cidades mineiras analisadas apresentou situação fiscal difícil ou crítica em 2016 – respectivamente, foram 477 municípios (64,5%) com pontuação entre 0,4 e 0,6 e 188 (25,4%) com nota inferior a 0,4 pontos. Apenas 75 prefeituras (10,1%) registram boa situação fiscal. (Clique AQUI e acesse o estudo completo)

Conselho Federal de Administração

Este é o segundo índice em 2017 que coloca Extrema como o número um no estado. No primeiro semestre, o Conselho Federal de Administração publicou o índice de Gestão Municipal de todas as cidades brasileiras. Extrema foi apontada como a 1ª colocada em Minas Gerais.

O Índice consiste em medir a governança pública nos municípios brasileiros a partir de três dimensões: Gastos e Finanças Públicas; Qualidade da Gestão; e Desempenho. Considera áreas como saúde, educação, planejamento urbano, articulação institucional, gestão fiscal, habitação, recursos humanos e outras. O Índice de Gestão Municipal será atualizado anualmente.

Os municípios foram divididos em quatro grupos: até 20 mil habitantes; entre 20 e 50 mil habitantes; de 50 a 100 mil e acima de 100 mil habitantes. Na classificação geral aparece a cidade paulista de Ilhabela que recebeu a primeira colocação no estado de SP e também no Brasil.

Extrema aparece como a 1ª colocada em Minas Gerais e a 36ª no país, sendo seguida pela capital, Belo Horizonte, em 2º lugar.

Entre os 10 primeiros colocados em Minas Gerais apenas duas cidades Sul Mineiras aparecem: Extrema em 1º lugar e Varginha em 10º. (Clique AQUI e confira o estudo completo)

Modo tucano de governar

O prefeito tucano João Batista discutindo com sua equipe projeto para mais investimentos em Extrema

O prefeito tucano João Batista discutindo com sua equipe mais um projeto para investimento em Extrema

Extrema é um exemplo do modo tucano de governar. O município é administrado desde 1989 pelo PSDB e o atual prefeito é João Batista da Silva. Antes dele, o também tucano Luiz Carlos Bergamin administrou a cidade cinco vezes. Além Bergamin, outro tucano, Sebastião Rossi, ocupou a prefeitura por duas vezes.

Extrema sempre mereceu destaque na mídia nacional pelos projetos pioneiros e inovadores que desenvolve e que chegou a elegê-la como a cidade mais desenvolvida do Brasil.

Leia matéria: Gestões tucanas tornam Extrema cidade mais desenvolvida do país