Você está em:
IMPRIMIR

Rede de escândalos do PT: Mais uma administração petista é denunciada por irregularidades e corrupção

10 de junho de 2016

rede_site_branco

Operação da Polícia Federal e Ministério Público Estadual aponta irregularidades no pagamento de diárias na Prefeitura de São João das Missões, no Norte de Minas

Mais um caso de corrupção na administração pública envolvendo o Partido dos Trabalhadores foi destaque na imprensa nos últimos dias. Dessa vez, a denúncia é contra a Prefeitura de São João das Missões, município com cerca de 13 mil habitantes localizado no Norte de Minas.

Em uma ação conjunta da Polícia Federal e Ministério Público de Minas Gerais foi deflagrada, nessa quinta-feira (09/06), a Operação Volta ao Mundo, que cumpriu 13 mandados de busca e apreensão, incluindo o gabinete e a casa do prefeito petista Marcelo Pereira. De acordo com a Polícia Federal, as investigações demonstraram gastos excessivos com diárias, aluguel de veículos e combustível. Apenas três servidores do município receberam R$ 795 mil nos últimos três anos com diárias.

Segundo reportagem do jornal O Norte, de Montes Claros, um caso especialmente intriga a Promotoria. De acordo com o jornal, o prefeito Marcelo Pereira aluga há três anos um veículo Toyota Hilux por R$ 7,5 mil mensais. O valor desembolsado com o arrendamento daria para comprar duas caminhonetes do mesmo tipo, ainda que usados.

A polícia também investiga irregularidades no aluguel de uma casa onde a prefeitura instalou médicas cubanas do programa Mais Médicos.
As investigações apontam ainda a possibilidade de fraude na aquisição de combustível por parte da prefeitura.

Veja repercussão na imprensa:

Estado de Minas: PF deflagra operação para investigar fraude no Norte de Minas

Gazeta Norte Mineira: PF realizou operação ‘Volta ao Mundo’ em Missões 

G1: Prefeitura de São João das Missões é alvo de operação da PF e do MPMG

Jornal Montes Claros: Norte de Minas – PF deflagra operação “Volta ao Mundo” na prefeitura de São João das Missões

O Norte: São João das Missões na mira do Ministério Público